Uma denúncia de ameaça feita por telefone à delegacia resultou na prisão de um dos assaltantes mais procurados no interior do Estado, na noite do último domingo, na localidade de Pedrinhas, em Icó. Segundo a Polícia, José Roberto da Silva Duarte, o Zé Roberto, 33, foi indiciado pelos assaltos às agências do Banco do Brasil de Orós (maio de 2010 e junho de 2009) e Icó (fevereiro de 2009), além de crimes de pistolagem e lesão corporal.

 De acordo com o delegado Pedro Viana, que responde pelo município de Lavras da Mangabeira, mas estava como plantonista em Icó, o assaltante foi flagrado com dois revólveres 38, munições e uma identidade falsa de Alagoas. De acordo ainda com o delegado, a Polícia realizou um cerco na região assim que as características do acusado de ameaça apresentaram semelhança com as de Zé Roberto.

“Sabíamos que ele estava escondido na região, mas não conseguíamos prendê-lo. Assim que soubemos das características, rapidamente fizemos o cerco com a ajuda da Polícia Militar”, contou o delegado Pedro Viana. “Ainda seguimos uma moto, mas era o irmão de Zé Roberto quem a conduzia. Ele tentou avisar o irmão sobre a nossa presença”, ressaltou o titular de Lavras da Mangabeira.

Por medida de segurança, Zé Roberto foi transferido na madrugada de ontem para Fortaleza, pois havia risco de resgate. Ele já conseguiu por duas vezes fugir da Cadeia Pública de Icó.


 

R$ 1,2 milhão

Dos três assaltos em que Zé Roberto foi indiciado, segundo a Polícia, o do município de Icó foi o mais ousado, em fevereiro de 2009. “Todos foram muito violentos, com tiros efetuados na rua e agressões a clientes. Mas em um deles os bandidos se superaram. Eles planejaram muito bem a ação e entraram na agência com roupas da Polícia Federal. Levaram R$ 1,2 milhão e causaram pânico na cidade”, lembrou o delegado.

Os assaltantes também conseguiram arrancar as câmeras do sistema de segurança do banco. Dois meses antes, um grupo tentou assaltar a mesma agência, com uso de dinamite. A Polícia ainda não conseguiu confirmar se a quadrilha seria a mesma.

“Já nesse último assalto em Orós (3 de maio), conseguimos a conformação que o Zé Roberto foi o homem quem ateou fogo no carro (Fiesta) usado para a fuga do bando, que possuía sete integrantes”, destacou o delegado, que acredita poder agora chegar aos outros assaltantes. Nos três assaltos, as quadrilhas fugiram em direção à Paraíba, passando por Jaguaribe.

(O Povo Online)

Anúncios