O deputado estadual licenciado Ivo Gomes (PSB) afirmou ontem que o governo Cid Gomes não pertence ao ciclo político iniciado pelo ex-governador – e hoje senador – Tasso Jereissati (PSDB), como afirmou o próprio tucano em tom de crítica. “O nosso Governo não pertence ao ciclo do Tasso Jereissati. Esse Governo é a inauguração de um novo ciclo no Estado do Ceará”, posicionou-se Ivo.

A declaração do ex-chefe de gabinete do governador – e irmão – Cid Gomes vem exatamente um dia depois de Tasso ter defendido, durante entrevista coletiva, o fim do controle político do Ceará pelas famílias Jereissati e Ferreira Gomes, iniciado em 1986, quando o cacique-mor do PSDB no Estado foi eleito pela primeira vez governador do Estado.

Tasso chegou inclusive a dizer que este ciclo está “cansado” e que uma “outra geração” precisa tomar as rédeas do Estado. Ao falar em outra geração, o senador se referia ao deputado estadual Marcos Cals (PSDB), que foi lançado candidato ao Palácio Iracema para tentar evitar a reeleição de Cid Gomes, aliado de Tasso até o início do mês.

O PSDB decidiu romper com o Governo devido à demora para o início das negociações eleitorais. Temendo ser preterido na composição do palanque pró-Cid, Tasso deu fim a uma parceira de 24 anos com os Ferreira Gomes alegando estar “decepcionado” com a postura dos, agora, ex-aliados.

Gestão plural – Econômico e cauteloso nas palavras, Ivo também rebateu as insinuações de que a gestão Cid seria absolutista, ao reunir em torno de si um grande número de partidos.

“Esse Estado não é mais governado por um partido só, mas por vários, e é totalmente diferente do liderado por Tasso”, sublinhou. Em seguida, fez questão de alertar: “Não inclua o nosso governo nesse ciclo (Jereissati)”.

(O Povo Online)