Contestado desde seu início, o reajuste de 7,7% aos aposentados que têm remuneração mensal superior a um salário mínimo finalmente foi acordado. Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do Brasil, recebeu diversas recomendações de Guido Mantega, ministro da Fazenda, para vetar o alçamento do percentual, pois as contas públicas do país poderiam apresentar desequilíbrio.

Anteriormente, de acordo com o portal de notícias G1, Lula barrou a emenda que elimina o fator previdenciário no país, mas indica, por outro lado, que o líder do país não quer se arriscar ao vetar a fixação do novo índice aos aposentados devido a dois fatores: término de seu mandato e pleito de outubro, no qual Dilma Rousseff (PT), ex-ministra da Casa Civil e pré-candidata, recebe seu integral apoio.

Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), deputado e líder da Força Sindical, afirmou que até acolhe a medida de veto ao fim do fator previdenciário, porém, quer que o presidente fixe o reajuste de 7,7% à classe de aposentados.

Se Lula vetasse, também, o projeto de reajuste, provavelmente a oposição poderia usar o episódio como bandeira para derrotar Dilma nas eleições. Realmente, se o líder do país agir desse modo, a petista poderá ter sua imagem desvencilhada à principal bandeira do PT: beneficiar a sociedade e outorgar melhores condições à população.

(www.salariominimo.net)

Anúncios