Em duas horas e meia de reunião, motoristas e cobradores afirmaram ter dado um passo importante na luta pelo atendimento das reinvindicações. Eles vão decidir na próxima quinta-feira (3) se entram ou não em greve.

A categoria reividica 45% de aumento salarial e melhores condições de trabalho. Em assembleias anteriores, o Sindiônibus havia oferecido 4,5%.

Segundo determina a legislação, a greve só começa 72 horas após a decisão, ou seja, caso a paralisação seja mesmo deflagrada, a frota de ônibus de Fortaleza não estará disponível em sua totalidade.

Motoristas e cobradores fizeram proposta de reajuste de 45%, mas a contraproposta do sindicato patronal foi de 5,5%, considerada irrisória por parte dos trabalhadores.

Em caso de paralisação, pelo menos 1,2 milhão de pessoas que utilizam o transporte coletivo diariamente vão sofrer as consequências da redução da frota.

(Portal Verdes Mares)

Anúncios