Para o jornal francês Le Monde, o Brasil assumiu o papel de porta-voz dos emergentes e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva não depende apenas de seu carisma para ser ouvido, ele ressoa um país está “em plena forma” após a crise econômica e se aproxima da China e da Índia em termos de crescimento. Esse foi o tom do editorial publicado na segunda-feira.

O jornal francês, que classificou a atuação do chanceler Celso Amorim de brilhante, disse que o Brasil assumiu papel preponderante na negociação da Rodada de Doha e apontou o respaldo econômico dado ao Brasil pelo bom desempenho de empresas como a Petrobras, a Vale e a Embraer. O artigo destacou que o País cobra uma postura mais plural, tanto em questões agrícolas (o Brasil é chamado de “o celeiro do mundo”), quanto em questões diplomáticas. Para o Le Monde, mundo ainda não compreendeu por completo o antigo metalúrgico amigo dos favelados e dos industriais, que pode ser candidato a secretário-geral das Nações Unidas.

(Portal Terra)