Em resposta à resistência de aliados ao lançamento de uma candidatura própria ao Senado, o PT realiza hoje à noite uma plenária com a militância, na sede do Diretório Estadual da sigla, em Fortaleza, para reafirmar o nome do ex-ministro José Pimentel como candidato “irreversível“ ao posto.

A plenária acontece apenas três dias depois de o governador Cid Gomes (PSB) repetir, após conversa com o presidente Lula, em Brasília, o que vem dizendo desde o início das negociações sobre a sucessão estadual: que seu único compromisso até aqui para o Senado é com Eunício Oliveira (PMDB). O governador negou que tenha tratado do tema com o presidente.

Segundo o líder da prefeita na Câmara Municipal, Acrísio Sena (PT), em declaração dada ao Blog do Eliomar, de qualquer forma a candidatura de Pimentel já se tornou irreversível, e é isso o que a militância irá reforçar na plenária. “Nós temos Pimentel como candidato ao Senado. O PT nacional decidiu e essa candidatura faz parte de uma estratégia política de aumentarmos nosso espaço no Senado, Casa que deu derrotas ao Governo Lula“, disse. Um dos opositores mais acirrados ao Governo Lula na Casa é o senador Tasso Jereissati (PSDB), que vai tentar este ano a reeleição.

O coordenador da bancada federal em Brasília, José Guimarães (PT), endossa o que diz o líder da prefeita. Ele reiterou que “a candidatura de Pimentel é um compromisso partidário e é irreversível“, de acordo com o Blog do Eliomar. O encontro da militância petista hoje deve ser comandado pela prefeita de Fortaleza e presidente do PT cearense, Luizianne Lins, uma das maiores defensoras da candidatura de Pimentel ao Senado.

A disputa ao Senado tem sido o principal entrave para a consolidação da chapa de apoio à reeleição do governador Cid Gomes. Tanto o PT como o PSDB querem apoiar o governador, mas os petistas têm demonstrado maior resistência a uma composição que inclua os tucanos, por se oporem frontalmente a qualquer apoio, mesmo que indireto, de Cid à reeleição de Tasso.

(O Povo Online)