Marcos Coimbra, Presidente do Vox Populi

Segue a íntegra da entrevista que fiz há pouco pelo twitter com o sociólogo Marcos Coimbra, presidente do Instituto Vox Populi de pesquisas (foto acima).

* Boa tarde, Marcos Coimbra. Quem tem mais chances de se eleger presidente da República em outubro próximo?

Boa tarde, Noblat. Dilma é favorita, mas favoritismo não basta para ganhar uma eleição.


* Por que você considera Dilma favorita?

Ela empatou com Serra e tem um espaço de crescimento aberto à frente junto ao eleitorado que está disposto a votar na candidata do Lula.


* Isso é suficiente para que Dilma se eleja? Serra não tem espaço para crescer?

* Serra é conhecido por 80% da população. Tem menos espaço para crescer. Dilma tem crescido tirando intenções de voto dele.


* A essa altura, quantos por cento das intenções de voto de Dilma resultam de transferência feita por Lula?

* Dilma é a candidata dele, de continuidade do que ele representa. Nesse sentido, toda a intenção de voto que tem vem de Lula e do governo.


* Dilma corre o risco de o eleitor, a certa altura, concluir que votar nela não significa votar em Lula, não é a mesma coisa?

* Claro que não é, e o eleitor sabe disso. Quem pensa em votar nela não acha que Lula vai mandar, mas acha que ela preservará o que ele fez.


* Se os votos de Dilma não são dela, mas de Lula e do governo, o candidato poderia ter sido qualquer outro bom auxiliar de Lula. Ou não?

* Me parece que sim, mas Lula deve ter tido razões para preferi-la. Seu papel no governo, seu perfil técnico, sua identificação com ele.


* Pelos seus cálculos, quantos por cento a mais de votos Lula ainda poderá repassar para Dilma?

* Há ainda cerca de 40% do eleitorado que conhecem mal ou não conhecem Dilma. Ela pode crescer mais 20 pontos nesse segmento.


* Fernando Henrique Cardoso tira votos de Serra? Ou freia seu crescimento? Há algum tipo de cálculo a esse respeito?

* A imagem de FHC é negativa e a maioria das pessoas acha que o governo dele foi muito pior do que o de Lula. Isso é ruim para Serra.


* Por que Dilma cresceu tanto em maio? Exposição em programas partidários na tv? Companhia de Lula no programa do PT? Ou cresceria de todo jeito?

* Todas as opções estão corretas. A propaganda do partido ajudou, Lula também, e ela estava em crescimento lento, mas firme.


* Em junho, Serra terá muito espaço nos programas de tv de partidos. Automaticamente ele crescerá?

* Serra é muito conhecido, o que limita essa hipótese. Mas deve melhorar, nem que seja por sustar o crescimento natural de Dilma.


* Lula já foi multado 4 vezes por fazer propaganda de Dilma antes do tempo. Faz mais de 1 ano que ele está em campanha por ela. Isso não a ajudou?

* Mais que ajudou, é a explicação de tudo. Ele antecipou a campanha, todo mundo entrou em campo e ele teve tempo para apresentar sua candidata.


* Todo mundo, não. Serra não entrou. E ninguém dispunha do grau de exposição de Lula e de Dilma.

* Desde 2009, todos os programas partidários foram eleitorais, PT, PSB e PSDB. Quanto à demora de Serra, a decisão foi dele e só dele.


* Serra tem um “teto” de votos que dificilmente ultrapassará? Qual seria?

* Serra tem um piso alto e um teto limitado pelo tipo de eleição que fazemos, onde o eleitor se pronuncia sobre politicas e governos e não sobre biografias.


* E o teto de Dilma e de Marina Silva?

* O teto de Dilma é o desejo de continuidade, que é muito alto. Marina corre o risco de ficar espremida entre os dois grandes e não conseguir crescer.


* O que Serra precisaria fazer para driblar esse quadro desfavorável e ganhar? Ou não tem como?

* Trazer a eleição para o campo dele, o da comparação de currículos. Torcer para que Dilma erre muito. Mas sua posição é desvantajosa.


* Aécio de vice poderia ajudar Serra a se eleger ou não acrescentaria grande coisa?

* Aécio só é bem conhecido em Minas Gerais, onde Lula é muito querido. Serra está bem e é dificil avaliar se um ganho em Minas faria diferença.


* Não dá para avaliar se um ganho em Minas faria diferença para Serra? Ou você prefere não avaliar?

* Minas é 11% do eleitorado. Aumentar 20 pontos no estado é 2% no total do país. Pode ser muito pouco no resultado final.


* Por que a História registra erros tão clamorosos cometidos por institutos de pesquisa?

* Os erros existem e todos procuramos reduzi-los ao mínimo. Mas os institutos brasileiros estão entre os que mais acertam no mundo.


* É certo que institutos pesquisem ao mesmo tempo para partidos e meios de comunicação?

* É nossa tradição, mas é natural que seja discutida. Pode ser um dos itens a tratar na reforma política que aguardamos.


* Montenegro, presidente do IBOPE, disse à VEJA no ano passado que a eleição de Serra era segura. Era na época ou ele estava errado?

* Acho que seria melhor perguntar isso a ele.


(Blog do Noblat)