O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, enviou uma carta ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva apoiando a iniciativa brasileira de negociação com o Irã na questão nuclear duas semanas antes de o acordo ter sido fechado, informou nesta sexta-feira a (21) agência de notícias Reuters.

O acordo foi fechado na última segunda-feira (17) por Brasil e Turquia com o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad. Na terça-feira (18), os Estados Unidos, apoiados por França, Reino Unido, Rússia, China e Alemanha, apresentaram uma proposta de novas sanções contra o Irã nas Nações Unidas (ONU).

Segundo a Agência Reuters, o presidente Barack Obama escreveu para Lula: “Uma decisão do Irã de enviar 1.200 quilos de urânio de baixo enriquecimento para fora do país geraria confiança e diminuiria as tensões regionais por meio da redução do estoque iraniano”.

O acordo mediado por Brasil e Turquia prevê exatamente o que consta na carta, que 1.200 quilos de urânio levemente enriquecido serão enviados para território turco e, em troca, o Irã receberá 120 quilos de combustível nuclear.

Em outro trecho da carta, Obama teria dito: “Nós observamos o Irã dar sinais de flexibilidade ao senhor e outros, mas, formalmente, reiterar uma posição inaceitável pelos canais oficiais da AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica)”.

O Irã assinou um documento se comprometendo com os termos acertados junto aos governos do Brasil e da Turquia. O texto deve ser encaminhado à agência nos próximos dias. Em Washington, a Casa Branca não confirma, nem desmente a existência da carta. A assessoria alegou que não pode divulgar o conteúdo de cartas oficiais do presidente Barack Obama.

No Brasil, a Presidência confirma que o presidente Lula recebeu a correspondência de Obama, mas também disse que não divulgaria o conteúdo. Apesar disso, reiterou a declaração do ministro das Relações Exteriores brasileiro, Celso Amorim, de que muitos pontos do acordo fechado em Teerã estão na carta de Obama para Lula.

O G1 procurou a Presidência da República, que informou que não falaria sobre o assunto, apesar de confirmar a existência do documento. Na última quarta-feira (19), Amorim mencionou a carta do presidente americano na construção do acordo.

“Quem primeiro nos falou, inclusive que nós deveríamos nos interessar, aliás, que o presidente Lula devia se interessar em ajudar na questão do Irã foi o presidente Obama. E nós temos agido, temos conversado como sempre com os Estados Unidos. Há uma divergência, obviamente, sobre a maneira de conduzir o tema, mas há um objetivo em comum, que é conseguir uma solução pacífica para a questão”, afirmou o ministro.

A agência oficial de notícias do Irã afirmou que a carta que detalha o acordo assinado em Teerã será entregue na próxima segunda-feira (23) pelo governo iraniano à Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).

(Portal G1)

Anúncios