Fieis da zona sul de Teresina se depararam na terça-feira (18) com mais um ato de vandalismo na igreja do bairro São Pedro. Pela sétima vez, a imagem de uma santa foi depedrada.


A imagem sacra foi achada na manhã de hoje retirada da redoma, erguida no lado e fora da igreja. A estátua foi derrubada no chão e quebrada em várias partes. Agentes do 1º Distrito Policial investigam o caso como fanatismo religioso, tendo em vista a sequência de crimes no mesmo local.

LEIA MAIS:

Mais uma imagem de santo católico foi destruída em Teresina. Este já é o sétimo caso de invasão de igreja onde as imagens são destruídas, nos últimos 12 meses. Mais uma vez o acusado saiu sem ser identificado. Apesar dos padres das igrejas “visitadas”já terem feito várias denúncias, até hoje a Polícia ainda não prendeu o acusado.

Desta vez o ataque foi na zona Sul. Os moradores do bairro São Pedro se depararam na manhã de ontem com mais um ato de vandalismo na igreja do bairro São Pedro.

A imagem sacra de São Pedro, o padroeiro do bairro, foi achada retirada da redoma, erguida no lado de fora da igreja. A estátua foi derrubada no chão e quebrada em várias partes.

Agentes do 3º Distrito Policial investigam o caso como fanatismo religioso, tendo em vista a sequência de crimes no mesmo local. Apesar de já terem sido registrados outros casos, a Polícia ainda não prendeu ninguém.

Segundo informações de alguns fiéis, não está difícil identificar o acusado. Numa das últimas vezes que a igreja foi depredada, o acusado teve um corte na perna ao quebrar os vidros de uma redoma.

Os policiais seguiram o rastro de sangue deixado pelo pé e foram parar na casa de um protestante que mora não muito longe da igreja e que é conhecido na vizinhança pelo seu radicalismo. O pastor é visto com frequência nas paradas de ônibus fazendo pregação.

Além da Igreja de São Pedro, a de Nossa Senhora de Lourdes, no bairro Vermelha e a de São José, no bairro Vila Operária, na zona Norte, já foram atacadas pelo radical religioso. O último ataque, por sinal, foi na igreja na Vila onde há 50 anos acontece às terças-feiras um novenário em louvor a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

O acusado subiu pelas paredes, destelhou a igreja, quebrou o forro e destruiu uma imagem da santa que acabara de ser restaurada no Sul do País para as comemorações dos 50 anos do novenário.

(Diário do Povo)

Anúncios