A decisão do PSB foi o segundo movimento em dois dias no tabuleiro político gaúcho. Desde domingo, o PPS está fora da aliança política que o PSDB tenta montar para reeleger a governadora Yeda Crusius. O partido não concorda com a imposição do PP, que quer coligação também nas proporcionais para fechar acordo com os tucanos e todos os que se aliarem à chapa, por entender que correria o risco de perder parte de sua bancada.

Em nota, o PPS afirma que resolveu “liberar o PSDB do compromisso assumido, permitindo que ele (PSDB) decida e firme a melhor coligação possível pela reeleição da governadora”.

Entre os tucanos, também há parlamentares que resistem à coligação com o PP nas eleições para deputado federal, proposta que seria apresentada na noite de ontem. O acordo, no entanto, tende a ser fechado nesta semana sob o argumento de que o partido tem uma necessidade maior, de reeleger Yeda Crusius.

No quadro atual, o PMDB é o único que conta com uma aliança forte já formalizada, com o PDT; o PSDB tende a firmar acordo com o PP; o PTB mantém conversações com o DEM; e o PT procura aliados. Estão disponíveis o PSB, o PPS, o PCdoB e partidos menores.

(Portal Zero Hora)

Anúncios