Em 2008, ela não pôde realizar seu desejo de disputar uma cadeira na Câmara Municipal de Fortaleza, mas agora, em 2010, a mãe da prefeita Luizianne Lins (PT), a pedagoga Luiza Lins & que é filiada ao PT desde 1994 & não vê obstáculos que a impeçam de concorrer a uma vaga de deputada estadual. Em entrevista ao O POVO, ontem, Luiza confirmou sua pré-candidatura e disse que é o “vácuo“ deixado pela desistência do vereador Guilherme Sampaio (PT) & que vinha se afirmando pré-candidato à Assembleia Legislativa, mas já declarou que não irá mais concorrer – que viabiliza sua oportunidade.

“O Guilherme seria o candidato ligado às áreas da educação e cultura, setores com os quais atuo há cerca de 35 anos, mas (com a saída dele da disputa) as pessoas ligadas a essas áreas passaram a cobrar de mim essa candidatura“, justificou a mãe da prefeita, que nunca disputou uma eleição. Em 2008, Luiza quis concorrer a vereadora, mas o fato se sua filha ser candidata à reeleição a impediu de concretizar a ideia – a legislação eleitoral limita candidaturas de parentes numa mesma circunscrição eleitoral.

Candidatura
Luiza rechaça a ideia de que sua pré-candidatura é facilitada pelo fato de ter uma filha que é a maior autoridade do Poder Executivo municipal e ainda presidente estadual de seu partido. “No diálogo que eu tenho com a minha filha, ela sempre me diz que essa é uma decisão minha e que não é justo que ela tenha qualquer interferência“. Em seu discurso, a mãe de Luizianne se diz uma “líder” na área de educação e cultura. “Nesses 35 anos no magistério, sempre que os professores precisaram do nosso apoio, nós estávamos lá. A minha vocação é para o interesse público, é oferecer ajuda aos mais carentes“, argumentou.

O deputado estadual Artur Bruno (PT), que vai concorrer a uma vaga na Câmara dos Deputados, é um dos defensores da candidatura de Luiza. Ontem, Bruno afirmou que seu apoio à mãe da prefeita está garantido. “Ela é uma liderança importante no setor da educação“.

Luiza é servidora da Prefeitura de Fortaleza desde 1973, quando ingressou como professora. Foi diretora de três escolas municipais e hoje está lotada no Instituto Municipal de Pesquisas, Administração e Recursos Humanos (Imparh). A idade, ela prefere não revelar. “É questão de vaidade feminina. Não sei se você entende”.

(O Povo Online)