O grupo militante Taleban do Paquistão assumiu na tarde deste domingo (2) a autoria do atentado fracassado ontem à noite na Times Square, um dos locais mais movimentados de Nova York (EUA), frequentado por muitos turistas. Um carro-bomba foi encontrado pela polícia local na rua 45 (entre a 7ª e a 8ª avenidas), e um esquadrão antibombas foi acionado para desarmar o artefato. Não houve feridos.

Governador de NY classifica incidente em Times Square de ato terrorista
Veículo suspeito continha “dispositivo explosivo”
Incidente em NY foi caso isolado, dizem autoridades

A autoria foi reivindicada em um vídeo de um minuto publicado num site islâmico, em que o grupo afirma que o ataque nos EUA é uma retaliação à morte do líder taleban Baitullah Mehsud e de dois líderes da Al Qaeda, Abu Ayub al Masri e Abu Omar al Bagdadi, mortos no último dia 19 de abril.

As imagens ainda não tiveram sua autenticidade comprovada e foram descobertas pelo SITE Intelligence Group, grupo norte-americano que monitora sites de militantes.

No vídeo de 1 minuto e 11 segundos, a voz de um narrador diz que o ataque chega em resposta à “interferência e terrorismo [dos Estados Unidos] em países muçulmanos, sobretudo no Paquistão”.

O vídeo não faz referência específica ao ataque frustrado na Times Square, não fala sobre um carro-bomba e nem indica que o ato aconteceria em Nova York.

Imagens dos militantes mortos são mostradas no vídeo, em que uma voz não identificada faz a narração e há legendas em inglês. Letras douradas aparecem sobre um fundo preto no início do vídeo, dando parabéns aos muçulmanos pelo “ataque de cair o queixo aos satânicos Estados Unidos”.

Autoridades norte-americanas ainda não se pronunciaram sobre esta nova informação.

Grupo – Os Talebans do Paquistão são um dos maiores e mais violentos grupos militantes paquistaneses. Eles mantêm fortes ligações com a Al Qaeda e estão baseados no noroeste do país, perto da fronteira com o Afeganistão.

O grupo tem realizado ataques no Paquistão nos últimos anos, tendo alvos principalmente paquistaneses, mas sem nunca esconder o ódio nutrido pelos Estados Unidos.

Se a reivindicação for comprovada, este seria o primeiro ataque destes militantes fora do Sul da Ásia.

No ano passado, o líder do grupo. Baitullah Mehsud, indicou que “surpreenderia a todos no mundo” com um ataque em Washington ou mesmo na Casa Branca.

Mehsud afirmou seguidamente que seus homens estariam por trás de atentado em março de 2009 na Associação Cívica Americana em Binghamton, mas após investigações as reivindicações de autoria foram consideradas falsas pelas autoridades.

(EFE)