Ser campeão é pouco. Em breve, a taça erguida repousará quieta numa prateleira. O clássico deste domingo vai além do símbolo. Ceará e Fortaleza disputam a história. Os alvinegros querem continuar dizendo que “tetra é luxo“ e que nenhum time tem mais estaduais por aqui que o Vovô. Os tricolores sonham com o quarto título seguido há décadas e desejam como nunca a 39ª conquista, que também deixaria o Leão no topo da lista de campeões. O palco é o estádio Castelão.

A final do Cearense 2010 também mira o resto da temporada. O título mexe com a autoestima, planejamento e tranquilidade de cada time. Parece exagero, mas bater o rival tem grandes chances de definir o ano inteiro. O Ceará, na Série A do Brasileiro, precisa da conquista para entrar na elite com alguma credencial. O Fortaleza, na Série C, quer o Estadual para fazer o seu torcedor voltar a sorrir. E os jogadores sabem da importância que isso tem.

Alvinegros e tricolores adotaram a velha tática do mistério. A ordem era não deixar escapulir nada para o rival. Mais que habilidade, os jogadores precisaram entrosar bem o discurso às vésperas da decisão.

No Ceará, PC Gusmão sabe que precisa vencer e, para isso, vai mudar a equipe que entrou em campo no domingo passado. Pelo pouco que deixou transparecer, o treinador alvinegro deve colocar Helena vaga de Careca. A troca é uma tentativa de proteger mais a defesa e deixar o setor ofensivo com mais liberdade.

Outro mudança que PC Gusmão deve fazer é no ataque. Dinei, muito isolado semana passada, não foi bem. Wellington Amorim é o favorito para ganhar a posição.

No Fortaleza, que tem a vantagem do empate, o mistério existe. Mas é menor. Durante a semana, Zé Teodoro praticamente não mexeu na estrutura da equipe que venceu a primeira final. A única dúvida do técnico é no meio campo. Caso mantenha Bismarck, o comandante tricolor deixa o Leão um pouco mais criativo e solto no setor. Por outro lado, sacando o camisa 10 e colocando mais um voltante (Fábio Recife ou Bruno de Jesus), Zé Teodoro ganha mais segurança na marcação.

Estratégias à parte, Ceará e Fortaleza entram motivados para o Clássico-Rei. Vencer é questão de honra. Os dois sabem que a conquista deste domingo é muito mais que um título. É a supremacia momentânea sobre o rival.

ESTADUAL 2010

CEARÁ
Diego; Arlindo, Fabrício, Anderson, e Thyago Fernandes; Heleno, Michel, João Marcos e Geraldo; Erick Flores e Wellington Amorim. Técnico: PC Gusmão

FORTALEZA
Fabiano; Peter, Turatto, Leomar e Guto; Gilmak, Coquinho, Bismarck (ou Fábio Recife) e Eusébio; Paulo Isidoro e Betinho. Técnico: Zé Teodoro

Local: estádio Castelão

Horário: 16 horas

Árbitro: Wilson Seneme (SP)

Assistentes: Vicente Romano Neto-SP e João Batista Nunes Chaves-SP

Ingressos: Cadeira superior R$20. Cadeira inferior R$40. Estudantes e pessoas com mais de 65 anos pagam meia entrada. Sócio-torcedor do Ceará não paga ou possui desconto, conforme o plano.

Transmissão: Rádio O POVO/CBN (1010 khz) e TV Verdes Mares

(O Povo Online)

Anúncios