Desde quinta-feira, 22/4, mais de 500 lideranças estudantis de todo o país estão reunidas na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) participando do 58º. Conselho Nacional de Entidades Gerais (Coneg) da União Nacional dos Estudantes (UNE). Eles pretendem debater e elaborar uma plataforma política a ser apresentada à sociedade. O Coneg, um dos principais fóruns de discussão do movimento estudantil brasileiro, vai até domingo, 25/04. Ao todo serão 19 conferências e mesas de debates temáticas em torna da educação, desenvolvimento econômico e social, cultura, esporte, saúde, comunicação e meio ambiente. As discussões irão nortear e subsidiar a elaboração das reivindicações do movimento estudantil, o que dará origem ao documento “Projeto UNE pelo Brasil”.

O grupo evitará apoiar qualquer candidato, no entanto assumirá uma posição contrária a José Serra, explicando que ele e o PSDB são contrários às propostas e plataformas defendidas pelo movimento estudantil. “Acho que pode sair para o primeiro turno a campanha ‘Serra não’. Não é uma questão pessoal contra ele. É uma questão ‘PSDB, não’, ‘Neoliberalismo de volta, não’”, defendeu o segundo-vice-presidente da UNE, Bruno da Mata, filiado ao PSB.  Para o vice-presidente geral da entidade, Tiago Ventura, filiado ao PT, isso não significa que a UNE vá apoiar determinada candidatura: “estamos dizendo o que nós não queremos, que é a volta do neoliberalismo para o governo brasileiro. E, na nossa opinião, a volta do neoliberalismo é representada pela candidatura do Serra”, finalizou.

A plenária final, momento em que serão votadas as principais propostas, será realizada no terreno da UNE, na Praia do Flamengo, onde funcionou a seda da entidade até ser demolida pelo regime militar de 1964. Uma maquete do novo prédio que será erguido no local, feita pelo arquiteto Oscar Niemeyer, estará exposta no local.

(Brasilia Confidencial)