Pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, descobriram que a ingestão de um composto presente na pele e sementes de uvas vermelhas ajuda a minimizar os danos causados por um derrame.

Duas horas depois de alimentar ratos com uma modesta dose de resveratrol – polifenol encontrado na pele e nas sementes de uvas vermelhas -, cientistas da universidade induziram um derrame nos animais pela suspensão da passagem de sangue em seus cérebros. Com isso, descobriram que os animais que tinham ingerido o resveratrol sofreram significativamente menos danos no cérebro do que os que não tinham tomando o composto.

Segundo Sylvian Doré, professor de anestesiologia da Universidade, o estudo sugere que o resveratrol aumenta os níveis de uma enzima (heme oxigenase) já conhecida para proteger nervos das células do cérebro que sofreu dano. Quando acontece o derrame, o cérebro está pronto para se proteger por causa do nível elevado de enzimas.

Nos ratos que não têm a enzima, o estudo descobriu que o resveratrol não tem uma proteção efetiva e suas células cerebrais morreram depois do derrame.

– Nosso estudo aumenta a evidência de que o resveratrol pode potencialmente construir uma resistência no cérebro para casos de derrame.

Mas os pesquisadores alertam sobre o uso de suplementos de resveratrol disponíveis ao lado de vitaminas e minerais na internet promovendo benefícios, porque ainda não há clareza sobre seus benefícios. Até porque, segundo eles, vale lembrar que o vinho é uma bebida alcoólica, que se for ingerida com exagero, pode fazer mal a saúde.

(Portal R7)