Volto ao assunto pesquisas preocupado com a falta de ação diante dos absurdos que estão acontecendo. Leio na Folha de S. Paulo que os tucanos estão entrando na justiça contra o Instituto Sensus. A alegação? Que tem pobre demais na amostra, pois  o instituto  Sensus teria usado um índice de entrevistas muito maior que o real e do que o declarado ao TSE.

Trancrevo o jornal, literalmente:

“Essa discrepância se concentrou no percentual de entrevistados dentro da menor faixa de renda -aqueles que ganham até um salário mínimo. Nos dados passados ao TSE, esses entrevistados representariam 6% do total. No entanto, o PSDB afirma que o valor verificado na fiscalização é 17,7%.”

Ora, você pode ver, pela página do registro da pesquisa no TSE que a afirmação do PSDB não merece outro nome senão o de mentira. Está lá, para quem quiser ver, que a parcela de entrevistados até um salário mínimo é de 16,3%. Se são 17,7% nas entrevistas está dentro de uma variação normal quando você colhe dados, porque não pode adivinhar extamente o perfil de cada casa sorteada para entrevista. E você viu aqui que, em outras pesquisas, é normal uma pequena variação sobre a base amostral ideal.
Pequena, não a variação gigantesca que o Datafolha fez, aumentando a participação do Sudeste de 42 para 61% e reduzindo o Nordeste de 27,99 para 18,4%!Reproduzo a imagem do registro da pesquisa Sensus, que você pode verificar na página do TSE, consultando o protocolo 7594/2010.

Além do mais, o Brasil só teria apenas 6% de seus habitantes com renda de menos de um salário mínimo se não tivessem havido os oito anos de governo do PSDB! Quem dera que só tivéssemos 6% de pobres! O queridinho dos tucanos, o Datafolha, trabalha com um percentagem de cerca de 50% de entrevistados com renda abaixo de 2 salários mínimos.

E ninguém vai reagir. Eu vou continuar chiando aqui, divulgando, combatendo, mas a ação jurídica compete ao PT. Só o que leio, porém, é a nota em uma coluna na mesma Folha dizendo que uns capas-preta  foram criticar o Marcelo Branco, corrdenador da campanha de Dilma na internet, por ter retuitado a denúncia de manipulação da Globo no clipe de seus 45 anos, dizendo apenas o óbvio, que ele e todo mundo estava vendo a propaganda subliminar,

Graças à blogosfera e a participação de gente como Marcelo Branco a manobra foi abortada.

Mas tem uns burocratas que querem ficar de bons-moços com a Globo e com os Dudas Mendonça da vida. A carreira deles é que importa, a eleição de Dilma é circunstancial.

Dias atrás, eu disse aqui que o Marcelo Branco não era um mercenário, era um lutador de muitos anos pela liberdade e pelo acesso de todos à informação via internet. É por ser assim que já estão plantando nota contra ele.

Eu vou repetir aqui o que disse o próprio Lula, dias atrás: quando a gente aceita a lógica do adversário e não reage, já está derrotado.

E não vamos ser derrotados, por o povo brasileiro vale mil vezes mais que uns “gravatinhas” que já esqueceram que foi esse povão sofrido, maltrapilho e valoroso que os colocou lá.

(Blog Tijolaço, do Brizola Neto)