SÃO PAULO – Ao contrário de outras cidades, São Paulo não divulga dados sobre a criminalidade. Os dados do Infocrim – sistema de dados criminais da polícia – é conteúdo mantido em sigilo. A reportagem do Estado obteve os números com exclusividade. Na tabela abaixo, cada delegacia seccional representa uma região: 1ª, Região Central; 2ª, Zona Sul; 3ª, Zona Oeste; 4ª, Zona Norte; 5ª, Zona Leste; 6ª região de Santo Amaro; 7ª, Itaquera e 8ª, São Mateus. Os dados são da Secretaria de Segurança Pública (SSP).


Os números revelam que entre 2008 e 2009 as ocorrências de furto, roubo e roubo de veículos cresceram mais de 10%. Por outro lado, a taxa de homicídios recuou um pouco (2,63%) e os registros de furtos de veículos também tiveram uma queda, quase insignificante (0,08%), equivalente a 34 registros a menos em um total de mais de 40 mil.

Mesmo com a diminuição dos registros de homicídios, os dados da Secretaria de Segurança Pública mostram que, em algumas regiões, houve um aumento considerável de ocorrências. A 1ª seccional (Região Central) e a 5ª seccional (Zona Leste), por exemplo, tiveram um aumento no número de homicídios de 10,20% e 17,65%, respectivamente.

A proximidade com grandes hospitais e estações do metrô é o principal atrativo para os ladrões de carros em São Paulo. É isso o que mostra o mapa do roubo e do furto de veículos na capital paulista. Um levantamento exclusivo feito pelo jornal O Estado de S. Paulo revela as ruas mais visadas pelos ladrões em 2009, nas oito regiões em que a polícia divide a cidade, e os horários e dias preferidos pelos bandidos para agir.

A pesquisa foi feita na base de dados do Infocrim, um sistema de dados criminais da polícia, cujo conteúdo é mantido em sigilo mesmo quando pode ajudar a prevenir crimes. Foi por meio desses dados que ficou possível determinar que em três regiões – sul, oeste e centro – as vias recordistas de furtos ficam perto de hospitais. São elas: a Loefgreen, na Vila Mariana (zona sul), a Maestro Cardim, no Paraíso (centro), e a Barão do Bananal, na Pompeia (zona oeste).

As Ruas Loefgreen e a Maestro Cardim são velhas conhecidas da polícia. Perto da primeira está o Hospital São Paulo e da segunda, o Beneficência Portuguesa. Em 2009, ocorreram 126 furtos nas duas ruas. Já a Barão do Bananal fica próxima do Hospital São Camilo, além de bares e restaurantes. Mas a recordista de furtos no ano passado na capital é a Rua Alvinópolis, localizada entre as Estações Penha e Vila Matilde do Metrô. Hoje os furtos representam pouco mais de 50% do total de carros levados por ladrões.

(O Estado de SP)