LA PAZ, Bolívia — Os presidentes da Bolívia, Equador, Nicarágua, Paraguai e Venezuela e representantes de movimentos sociales e indígenas de 129 países discutirão a partir desta terça-feira, em Cochabamba, uma proposta sobre a mudança climática, que será enviada à cúpula da ONU sobre o tema no fim do ano no México.

A Conferência Mundial dos Povos contra a Mudança Climática, organizada pelo governo de Evo Morales, terá a participação dos presidnetes Hugo Chávez (Venezuela), Rafael Correa (Equador), Fernando Lugo (Paraguai) e Daniel Ortega (Nicarágua).

Também participarão cerca de 18.000 pessoas de 129 países dos cinco continentes e delegações governamentais de 40 nações.

A Bolívia assumiu em dezembro passado o compromisso de organizar o evento internaiconal, principalmente com povos indígenas e movimentos sociais de todo o mundo, depois do fracasso da cúpula do clima da ONU, a COP15.

Morales, junto com seus colegas da Venezuela, Nicarágua, Cuba e Sudão, questionou o acordo assinado noa capital dinamarquesa pelos Estados Unidos, União Europeia, China, Índia, Brasil e África do Sul, que não possuía as exigências mínimas pasra estabelecer metas e métodos para reduzir o ritmo do aquecimento global.

Além de povos indígenas e organizações civis, a conferência contará com a participação de personalidades internacionais como Jim Hansen (cientista da NASA), Naomi Klein (autora do livro No Logo), Eduardo Galeano (escritor uruguaio), Adolfo Pérez Esquivel (Prêmio Nobel d La Paz 1980, argentino), o ativista francês José Bové e a atriz Q’orianka Kilcher, alemã filha de pai peruano quechua, que interpretou “Pocahontas” no filme “O novo mundo”.

(Agência AFP)