Serra, disfarçado de Angelina Jolie (estratégia desesperada para ganhar votos), chora após ler sobre a pesquisa Sensus…

Rápidos comentários sobre a pesquisa Sensus, mencionada no post anterior…

O título é uma frase que rolou solta no twitter, e apesar de meu combate implacável aos lugares comuns, não resisti em trazê-la para cá e dar-lhe um lugar de honra. Desta vez, chega de grandiosidade, de citações bíblicas, de cinema. Chega de Dante Alighieri. A pesquisa Sensus divulgada ontem, mostrando empate entre Dilma e Serra, me fez querer encerrar o dia com simplicidade camponesa.

E também meio que encerrou, precocemente (e só aparentemente, claro), a semana política. Todo mundo pode ir embora mais cedo.

Quer dizer, ao menos os tucanos. Eles podem descansar o resto da semana e torcer para que na próxima tenham melhor sorte. A semana deles estreou com marcha triunfal e com Serra aplicando uma dentada no pescoço inocente de Aécio Neves; e termina rolando “Serra” abaixo.

A Folha, com sua ética de viciado em crack, já começou a desqualificar a pesquisa Sensus, assim como fez com a do Vox Populi.

Entretanto é no Datafolha que está a incongruência. No próprio Datafolha víamos Dilma liderando as pesquisas espontâneas, víamos a popularidade de Lula crescendo em toda parte (inclusive no Sul) e, na contramão disso tudo, qual um caminhão em chamas desgovernado, o instituto trazia Dilma perdendo enorme quantidade de pontos, e Serra crescendo!

Logo a seguir, o Vox Populi trouxe números muito mais coerentes com a evolução de todas as pesquisas nas últimas semanas e uma conjuntura estatística muito mais racional. E agora o Sensus confirma a tendência.

Ressalte-se que o crescimento de Dilma não é um movimento brusco, e sim uma escalada gradual que vem se observando desde o ano passado. Serra, por sua vez, também não perde pontos de forma acelerada, mas gradativamente.

É tudo muito racional, basta usar o bom senso. Se Lula tem uma grande popularidade, porque razão o povo não votaria no candidato indicado por ele? Se eu, que sou viajado, culto, convencido, metido a saber tudo, exposto a todos os preconceitos classemedistas possíveis, e cuja renda, em plena era Lula, só fez declinar, eu votaria no indicado por Lula de olhos fechados, por que o povão, que assistiu sua renda crescer em ritmo firme, constante, que obteve emprego, e que vê o presidente como um igual, como um vencedor, por que o povão não votaria em Dilma Rousseff quando informado de que ela, e só ela, é a candidata apoiada por Lula? Usem o bom senso!

Claro que é preciso prosseguir pisando o chão com os pés firmes, de preferência descalços, para sentir bem a terra e os pedregulhos do caminho. Não será fácil. A mídia oposicionista está apenas experimentando suas armas. Ainda nem usou seus brinquedos mais perigosos. Mesmo assim, nada nos impede, nesta terça-feira à noite, de temperatura amena e tempo seco, de abrirmos uma cerveja gelada e, humildemente, brindarmos à nossa esperança!

(www.oleododiabo.blogspot.com)