Lages. – A aeronave Tucano da esquadrilha da fumaça da Força Aérea Brasileira (FAB) caiu no final da tarde de ontem em Lages, em Santa Catarina, matando o seu piloto, o cearense Anderson Amaro Fernandes. O avião, somente com o piloto a bordo, se apresentava por volta das 17h com outras seis aeronaves para a população da cidade.

Os pilotos da Esquadrilha da Fumaça Cap Av Anderson Amaro Fernandes e o Cap Av Ricardo Felzcky defronte o BAe Hawk dos Red Arrows
Piloto Anderson Amaro

A aeronave de número sete se chocou com a lateral da pista durante uma manobra, cerca de 20 minutos depois do início do show aéreo, segundo conta o instrutor de voo Klaus Ramos Klinger, que assistia à apresentação. Os espectadores entraram em pânico, mas ninguém se feriu. De acordo com o Corpo de Bombeiros, cerca de 20 mil pessoas assistiam ao evento.

“A aeronave caiu a 100 metros da pista do aeroporto, em campo aberto. Como o aeroporto estava isolado, ninguém do público ficou ferido”, disse o soldado Varela, do Corpo de Bombeiros de Lages.

O estudante de jornalismo Thomas Michel, que acompanhava de seu apartamento a apresentação da esquadrilha e viu o momento da queda, disse que a explosão foi tão forte “que uma bola de fogo subiu mais alto que as torres de energia”.

O exército isolou a área para aguardar a presença de técnicos do Centro Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Ceripa). Dentro de 30 dias deve ser divulgado um laudo com as causas do acidente. Na avaliação de Klaus Klinger, a manobra que o piloto não conseguiu concluir era uma das mais simples da apresentação. A esquadrilha da fumaça se apresentava para homenagear o Aeroclube de Lages, que completa 68 anos.

Horas depois, o Comando da Aeronáutica confirmou a queda da “aeronave T-27, do Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA) da Força Aérea Brasileira – mais conhecido como Esquadrilha da Fumaça”, bem como a morte do capitão Anderson Amaro Fernandes. O Comando da Aeronáutica também informou que já iniciou o processo de investigação para identificar os fatores que contribuíram para o acidente.

O piloto Anderson Amaro Fernandes, responsável pelo Tucano de número sete da Esquadrilha da Fumaça, estava no último ano de exibições com a aeronave, segundo o Comando da Aeronáutica.

A aeronave T-27 Tucano utilizada pelo Esquadrão de Demonstração Aérea é de fabricação brasileira e possui assentos ejetáveis em seu conjunto. Na FAB, é destinada ao treinamento intermediário de pilotos. Exportado para outros países, o Tucano T-27 faz parte das forças aéreas da Argentina, Colômbia, Egito, França, Honduras, Irã, Iraque, Paraguai, Peru e Venezuela.

PROTAGONISTAÚltimo ano de exibições Capitão Anderson Amaro Fernandes Nascido em Fortaleza em 1976, Anderson Amaro Fernandes ingressou na Força Aérea em 1996. Com 3.650 horas de voo, o piloto cearense estava em seu último ano na Esquadrilha, após 180 demonstrações.

Anderson estava em seu quarto e último ano na esquadrilha. Ele deixa mulher e uma filha pequena.

Neste sábado, um avião da Aeronáutica sairá da base aérea de Canoas (RS) com destino a Lages para conduzir o corpo de Anderson à Academia da FAB em Pirassununga (SP), onde é a sede da Esquadrilha da Fumaça.

Depois, o corpo seguirá para Fortaleza (CE), onde vive a família de Anderson.

VELÓRIO – O corpo de Anderson Amaro Fernandes, de 32 anos, deve chegar, às 15h deste sábado (03), na Base Aérea de Fortaleza, onde acontecerá o velório do piloto. Às 17h, o corpo de Anderson Amaro deve ser sepultado no cemitério Parque da Paz.

(Diário do Nordeste -Portal Verdes Mares com adaptações)

(Diário do Nordeste)

Anúncios