No fim da cerimônia de despedida de José Serra do governo de São Paulo, na tarde desta quarta, 31, o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) conversou com Terra Magazine sobre as articulações para garantir o palanque do presidenciável tucano no Ceará. O mapa eleitoral dos serristas aponta um cenário inseguro no Estado.

Tasso prefere concorrer ao Senado e apoiar a campanha do governador Cid Gomes (PSB), irmão do presidenciável Ciro e integrante da base aliada de Lula. Dessa forma, Serra não estaria amparado por um candidato ao governo estadual. “Só não temos um caminho ainda no Ceará”, afirmou, em 16 de março, o deputado federal e um dos articuladores serristas, Jutahy Magalhães (clique aqui). Tasso tranquiliza os correligionários:

– Não tem com o que se preocupar. Não há nenhum problema com o palanque estadual. Isso já está decidido. Sou candidato a senador e o palanque do Serra sou eu. No Ceará, eu sou o palanque do Serra. Está tudo certo.

Segundo Jereissati, somente “alguns arranjos estão sendo feitos” para fechar a aliança com o governador Cid Gomes.

Presente ao “balanço da gestão” de Serra, no Palácio dos Bandeirantes, o senador Alvaro Dias (PSDB-PR) avalia que, no Paraná, a candidatura do ex-prefeito de Curitiba Beto Richa também necessita de ajustes, além de avanços em algumas alianças. “Meu irmão, Osmar (Dias), também é pré-candidato. Mas o governador (Roberto Requião, PMDB) está tentando cooptá-lo. Queremos trazê-lo do lado de lá para o lado de cá”, brincou.

(Terra Nagazibe)