“Os pastéis vão voltar com tudo e o cintilante também, como o vermelho com cintilante, vinho com cintilante, beterraba ainda continua”, diz

Mas o que Laura e muitas manicures ainda não sabem é decifrar os sinais que as unhas podem revelar sobre os problemas de saúde das pessoas.

As unhas sempre mereceram uma atenção especial da medicina chinesa. A sabedoria milenar ensina que o diagnóstico de algumas doenças pode ser feito através da análise das unhas, por isso não custa nada observá-las constantemente e fazer desta observação um hábito mesmo, porque qualquer alteração pode servir de alerta e ajudar na prevenção de doenças.

“Deficiências de circulação, deficiências de nutrientes, como anemia”, diz Sérgio Palma, presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia – PE.

As manicures querem saber…

“Quando a unha tá muito quebrada ou quebra com facilidade, se é alguma doença?”, pergunta Laura Teodoro, manicure.

“Quando você tem uma doença da glândula da tieróide, ela pode levar ao enfraquecimento da unha. As anemias também, as carências nutricionais, as doenças que consomem o indivíduo, todas elas também podem estar levando a fragilidade da unha”, diz o dermatologista.

“Quando a unha tá descolando é sinal de doença?”, questiona outra manicure.

“Ela favorece as infecções secundárias, como a presença dos fungos e bactérias. Pode ser também secundária a traumatismo, ao uso de medicamentos prolongados”, orienta Palma.

“E se a unha é amarelada?”.

“Unha amarelada pode indicar alguma doença respiratória e doenças do fígado também podem levar a esta coloração da unha”, afirma.

“Quando a unha tá avermelhada?”.
“Pode ser sinal de problemas de circulação”.
O dermatologista também ensina: é preciso dar uma folga ao esmalte de vez em quando.

“A cada quatro, cinco dias, retirar esse esmalte e de preferência deixar em torno de dois a três dias essa unha sem a cobertura do esmalte. Justamente pra ela poder tá respirando. A cor natural é um rosa clarinho… Ela não deve estar descolando, sem sinais de infecção, não ter nenhum inchaço, sequinhas, estarem sempre limpas e cortadas”, conclui o dermatologista.

(jcorreio.com.br)