Os associados da Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil (Cassi) vão às urnas de 1º a 9/4 para renovar parte dos cargos diretivos eleitos da entidade: a diretoria de Saúde e Rede de Atendimento, quatro membros do Conselho Deliberativo (dois titulares e dois suplentes) e dois integrantes do Conselho Fiscal (um titular e um suplente). A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e o Sindicato dos Bancários do Ceará apoiam a Chapa 1 – Unidos pela Cassi, formada pelo movimento sindical cutista e outras entidades do funcionalismo do BB, como AAFBB (associação dos aposentados) e a ANABB.

“A Cassi é uma das mais importantes entidades criadas e geridas pelos trabalhadores bancários, hoje responsável pela saúde de todos os funcionários do BB e de seus familiares. Apoiamos a Chapa 1 porque ela representa a busca da unidade que sempre perseguimos como a melhor estratégia para defender os interesses dos trabalhadores”, afirma Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT.

“O Sindicato dos Bancários do Ceará apoia a Chapa 1 porque é a única com representatividade e força para implantar o Plano Odontológico e ampliar o novo modelo de saúde e a rede credenciada da Cassi”, disse Carlos Eduardo Bezerra Marques, presidente do SEEB/CE.

A Cassi atende hoje a saúde de mais de 800 mil pessoas em seus dois planos, o Plano de Associados e o Cassi Família (voltado para familiares dos funcionários do BB até o terceiro grau).

Nas campanhas salariais nacionais dos últimos anos, as greves dos bancários do Banco do Brasil arrancaram três importantes conquistas que dizem respeito à Cassi. Em 2007, conseguiram do banco que fizesse um aporte de R$ 300 milhões, relativos a compromissos que não vinham sendo cumpridos, e forçaram o BB a elevar de 3% para 4,5% a sua parte da contribuição mensal referente aos funcionários contratados a partir de 1998.

E na greve de 2008, o BB assumiu o compromisso, registrado em cláusula do acordo coletivo, de implantar e custear integralmente o Plano Odontológico, antiga reivindicação dos bancários.

(SEEB/CE)