O desempenho positivo de setores como comércio e construção civil no ano passado levou o crescimento econômico do Ceará a superar os resultados nacionais. Enquanto o Produto Interno Bruto (PIB) do Estado cresceu 3,1% em 2009, a soma das riquezas nacionais apresentou retração de 0,2%. A participação do Estado no PIB nacional chega a 2,03%.

O PIB cearense contabilizou R$ 60,79 bilhões. Para o País, o valor foi de R$ 3,1 trilhões. Os números foram divulgados ontem pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece) e pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O governador Cid Gomes destacou como um avanço a superação da casa dos 2% do PIB nacional. “É um avanço que demonstra que estamos indo no caminho certo para reduzir diferenças econômicas e sociais históricas“.

O crescimento do PIB cearense é contínuo, de acordo com a titular da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag), Desirée Mota. “O estado do Ceará está tendo um crescimento sustentável“, apontou lembrando que em 2007 o PIB do Estado fechou em 4,1% e em 2008 chegou a 6,5%. Desirée explicou que o Ceará não tem sua economia ligada essencialmente à exportação, mas boa parte de seu desenvolvimento é “voltado para o mercado interno”.

A expectativa para 2010 é chegar a um PIB de 6% no Estado. Nacionalmente, o índice deve alcançar 5,7%. “Enquanto o País espera sair de uma projeção negativa e chegar a 5,7%, nós vamos manter e alavancar o crescimento“, apontou Desirée.

Serviço –  Apontado como o setor com maior representatividade no PIB cearense (70,27%), os serviços apresentaram um crescimento de 5,6% levando-se em consideração os valores adicionados a preços básicos, descontando-se os impostos.

Entre os setores, o comércio apresentou o maior destaque com crescimento de 10,9%. Desirée explicou que a elevação foi resultado do aumento das vendas do varejo, mais contratações e ganhos salariais reais, além de medidas anti-crise como a redução de impostos.

O titular da Secretaria da Fazenda (Sefaz), Mauro Filho, apontou como um dos motivos para o crescimento do comércio a política de desoneração fiscal desenvolvida desde 2007. “Não é uma medida emergencial, mas uma política pública“, destacou lembrando que já foi reduzida a carga de produtos como medicamentos e gêneros agrícolas.

Indústria –  Com um crescimento de 1,1% em 2009, o setor industrial teve sua elevação puxada pelo bom desempenho da construção civil. O setor representa 23,61% do PIB do Estado e obteve um crescimento de 4,4% em decorrência principalmente dos investimentos em obras pública.

A retração de 9% no setor agrícola não foi tão significativa para o resultado do Ceará. O setor é responsável por apenas 6,2% do total das riquezas do Estado.

EMAIS

– O crescimento do PIB cearense está associado com a elevação dos indicadores sociais. Enquanto em 1998, quase 70% da população era considerada pobre por viver com menos de meio salário mínimo por pessoa, o índice caiu para 51% entre 2007 e 2008, com 330.700 pobres a menos.

– O Produto Interno Bruto é um dos principais indicadores de uma economia. Ele revela a soma de todas as riquezas geradas no país.

– O Valor Adicionado a Preços Básicos representa a soma de todos os bens e serviços sem incluir os impostos.

– Apenas quatro estados no País fazem a análise do PIB trimestralmente: Ceará, Minas Gerais, Bahia e Pernambuco. Dos quatro, o Ceará é o único que divulga os resultados no mesmo dia em que o IBGE divulga os dados nacionais. Os demais só mostram o levantamento no fim do mês.

(O Povo Online)