Espanha e Irlanda serão os países mais afetados pela crise econômica. A análise, feita pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), é tema de reportagem de hoje do jornal espanhol “El País”.

Segundo a entidade, a recessão derrubará o PIB dos dois países em 10,6 e 11,8 pontos percentuais, respectivamente. Para os outros países-membros, a previsão é menos sombria: a queda deve ser de 3,1 pontos percentuais no longo prazo.

A diferença entre as projeções é explicada pela alta taxa de desemprego registrada na Irlanda e Espanha, os países que mais sofreram com o estouro da bolha imobiliária. Segundo o informe divulgado pela OCDE, o país de Zapatero deve fazer reformas na área da educação, reduzindo a taxa de desistência dos alunos, e flexibilizar o mercado de trabalho para diminuir a diferença entre os contratos por tempo determinado e fixos.

Os autores do estudo dizem ainda que, pela experiência em crises passadas, os níveis de crescimento anteriores ao abalo financeiro não serão atingidos no curto prazo.

– Por isso, os 30 estados da organização deixarão de crescer a um ritmo médio anual entre 2% e 2,25%, verificado nos setes anos que precederam a crise, a uma taxa em torno de 1,75% no longo prazo – diz a reportagem do “El País”.

(O Globo Online)

Anúncios