As agências do banco Bradesco no Estado deverão adotar medidas necessárias para agilizar o tempo de permanência dos clientes na fila de espera. A ação movida pelo Ministério Público de Pernambuco, que propunha uma série de adequações no atendimento, foi acatada pelo juiz do Tribunal de Justiça de Pernambuco, Francisco de Assis Galindo de Oliveira.

Com a decisão, o Bradesco deve disponibilizar o número de funcionários para o atendimento ao público de acordo com a demanda de cada agência, banheiros com diferenciação de gênero e adaptações para portadores de deficiência. Em caso de descumprimento das medidas, uma multa de 20 mil reais por agência foi estipulada.

Procedimentos de Investigação Preliminar (PIP) comprovaram as demoras nas filas, a inexistência de banheiros com divisão por gênero e a ausência de equipamento gerador de senha para atendimento. A legislação atual determina que o tempo para o atendimento seja de 15 minutos nos dias de menor movimento e de 30 minutos para os de maior.

(JC Online)

Anúncios