“Ao contrário do ano anterior, quando as chuvas banharam o Ceará, sob o efeito do fenômeno “La Niña”, os primeiros meses de 2010 estão quentes, o que está deixando a população desconfortável. O “La Niña” deu lugar ao fenômeno “El Niño”, ocasionado pelo aquecimento das águas do Oceano Pacífico. Ele afeta a parte de cima do Nordeste.

A sensação térmica sentida na capital do Ceará é de aproximadamente 1,5º a mais que a média histórica de janeiro (27,3º). O doutor em Ciências Atmosféricas e professor da Universidade Estadual do Ceará (Uece), Alexandre Costa, explica que três fatores são determinantes para o aumento da temperatura: a expansão da cobertura asfáltica (ampliação das áreas urbanas), o aquecimento global e o retorno do “El Niño”.

A falta de chuvas aumenta a sensação de calor, avisa o meteorologista da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), Paulo Barbieri. Ele também alerta que o clima pode continuar até o final de maio. “Nós temos esse ano um evento de “El Niño” e isso faz com que as chuvas aqui na região norte do Nordeste, o que incluiu o estado do Ceará, fiquem abaixo do normal e isso faz com que essas temperaturas fiquem mais altas. O fenômeno deve ocorrer até maio, quando ele começa a diminuir a temperatura das águas do Oceano Pacífico”, diz.”

(Portal Ceará Agora)