Presidente estadual do PT afirma que a entrada do partido na disputa pelo Senado é prioridade em 2010, mas garantiu que “não existe possibilidade“ de o partido desistir da intenção de manter-se na vice da possível chapa pela reeleição de Cid Gomes (PSB)

Com o PT pressionado por todos os lados para desistir de sua candidatura a senador no Ceará, a prefeita de Fortaleza e presidente estadual do partido, Luizianne Lins, afirma haver um “sentimento nacional“ que torna a disputa pelo Senado prioritária. Ela nega, contudo, que o PT cogite sacrificar a vice-governadoria, caso o governador Cid Gomes (PSB) se negue a apoiar as duas candidaturas petistas.

Tanto Cid, quanto o deputado federal e pré-candidato a senador pelo PMDB, Eunício Oliveira, e até mesmo o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu (PT) impõem resistências à ideia do PT cearense de lançar o ministro da Previdência, José Pimentel, candidato ao Senado.

“Onde o Lula teve problema foi no Senado“, disse a prefeita ao O POVO, recordando a derrota do governo na tentativa de manutenção da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). “Existe um sentimento nacional de que é fundamental fortalecer as candidaturas da base do governo, para que o Senado não seja tão complicado como é hoje. Em função disso, a gente tem prioridade, sim, de eleger senadores, principalmente senadores do PT, agora, de uma forma geral, da base aliada“, afirmou.

Luizianne avalia, no entanto, que é importante para o PT e para “a sociedade como um todo“ que o partido também esteja na chapa que vai disputar o Governo. Para ela, o Senado e a vice não representam “caminhos“ excludentes. “Não existe essa possibilidade de o PT não ter essas vagas do ponto de vista da nossa intenção partidária“, disse.

A prefeita ainda ressaltou o cacife no cenário atual que teria o PT, “um grande partido“, lembrando que a sigla deixou de encabeçar uma chapa para o Governo em 2006 para apoiar o PSB, com Cid Gomes. “O PT tem as credenciais para isso, para poder disputar a vice, porque nós estamos nesse projeto, e disputar um cargo (de senador), já que são dois cargos para o Senado“.

(O Povo Online)

Anúncios