O último boletim epidemiológico da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (Sesa) revelou aumento de 255,6% nos casos de leptospirose no ano passado. Foram 281 novos registros contra 79 em 2008.

Os municípios de Fortaleza e Várzea Alegre lideram a lista de risco com 48 casos cada um. A doença atinge, principalmente, trabalhadores agrícolas.
Em seguida, vêm os estudantes e as donas-de-casa. Os principais sintomas da leptospirose são dores no corpo e na cabeça.

> Leptospirose mata sete pessoas este ano no CE
> 145 casos e nove mortes por leptospirose no CE

1. Quais os sintomas?
Um dos sinais de alerta é a dor nas panturrilhas, que impede a pessoa de andar. É importante que a população evite o acúmulo de lixo nas ruas e dentro das casas, já que os ratos – responsáveis pela transmissão da doença, proliferam-se em ambientes sujos.

2. Como se prevenir?
O risco de adquirir leptospirose pode ser reduzido evitando-se o contato ou ingestão de água que possa estar contaminada com urina de animais.

3. Existe vacina?
Ainda não há qualquer tipo de vacina para a prevenção da doença.

4. Qual é o tratamento?
O tratamento da pessoa com leptospirose é feito fundamentalmente com hidratação. Quando o diagnóstico é feito até o quarto dia de doença, devem ser empregados antibióticos (doxiciclina, penicilinas) que reduzem as chances de evolução para a forma grave. As pessoas com leptospirose sem icterícia podem ser tratadas em casa. As que desenvolvem meningite ou icterícia devem ser internadas.

(verdesmares.globo.com)

Anúncios