Importante na construção da história do artesanato de Viçosa do Ceará, uma mulher pode ser considerada como forma de identificação do modo de viver de um povo.

Assim, Dona Francisca Rodrigues Ramos do Nascimento, conhecida popurlamente como Dona Francisca do Tope, deu continuidade a uma prática já vivenciada por seus antecedentes. Com o objetivo de não deixar apagar da memória de toda uma comunidade uma atividade que, além de expressar suas habilidades e competências através da arte é uma importante fonte de renda para a localidade onde reside, o Sítio Tope, localizado a 03 km da sede de Viçosa do Ceará.


Dona Francisca do Tope, uma senhora que desde os doze anos de idade tornou-se artesã e que até hoje, aos 69 anos ainda exerce este ofício, foi homenageada em 1997 como “Mestra da Cultura Popular”. O trabalho por ela desenvolvido na comunidade do Tope é reconhecido por órgãos do governo como SEBRAE e CEARTE, onde seus produtos são comercializados. Inicialmente o trabalho não era organizado, sendo que cada artesão/artesã realizava suas atividades individualmente. Com o tempo os artesãos e artesãs se reuniram, formando uma associação, onde a partir da mesma foi construído um galpão para servir de apoio para a exposição e comercialização da variedade de peças já finalizadas. Com a criação desta associação, seus membros elaboraram projetos para adquirir energia elétrica e água, além de outros recurso para a melhoria do trabalho como artesãos/artesãs, bem como a melhoria da qualidade de vida da comunidade.

Artesãs como Dona Fracisca do Tope são pessoas que não deixam um conhecimento tão importante desaparecer, passando assim este conhecimento para outras gerações, com o desejo que estas gerações dêem o devido valor que sua arte merece.

Fonte: Jornal “Olhar Histórico”, da Turma 279 CLE – História – Viçosa do Ceará. Escrito pelos(as) estudantes: Carlino, Gildelene e Lilian.

(Portal Vermelho)