Estudo elaborado pela Coordenadoria de Concursos da UFC sugere que a instituição adote o Enem como instrumento único de seleção no vestibular. Decisão cabe ao Conselho Universitário

Tiago Braga
tiagobraga@opovo.com.br
09 Fev 2010 – 03h05min

Conselho da Universidade votará a utilização ou não do Enem nos futuros vestibulares. Definição está marcada para o encontro no próximo dia 26   (Foto: TALITA ROCHA )

No próximo dia 26, a Universidade Federal do Ceará (UFC) decidirá se adota ou não o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no processo seletivo do vestibular 2011. A Coordenadoria de Concursos (CCV) elaborou um estudo técnico defendendo que o Enem seja o único instrumento de seleção. Mas a decisão cabe ao Conselho Universitário (Consuni), órgão colegiado formado por representantes de vários setores da universidade.

“O voto será aberto“, informa o reitor da UFC, Jesualdo Farias. Desde abril do ano passado, os cerca de 50 conselheiros participam de reuniões para debater o assunto. Antes da decisão, no dia 26, serão realizados mais três encontros. “É uma oportunidade de tirar as dúvidas que ainda possam existir“, comenta Jesualdo.

Caso o conselho decida por adotar o Enem, ainda será necessário escolher de que forma isso será feito. Há quatro possibilidades de adesão: como fase única, no chamado Sistema de Seleção Unificada; como primeira fase do processo seletivo; combinado com o vestibular da instituição; ou como fase única para as vagas remanescentes do vestibular.

“A proposta da universidade é adotar o Enem como instrumento único de seleção“, defende Jesualdo, acrescentando que a alternativa foi apontada no estudo técnico realizado pela CCV. Se a proposta for acatada pela maioria dos conselheiros, a UFC poderá participar do sistema unificado proposto pelo Ministério da Educação (MEC), em abril do ano passado.

O reitor cita as principais vantagens de se aderir ao sistema unificado. Uma delas é que o estudante poderá ver as notas dos seus concorrentes antes de se inscrever nos cursos. Assim, pode checar se possui chances de ficar com a vaga. “Além disso, o novo Enem foge desse excesso de conteúdo que é cobrado no vestibular tradicional“.

Mas também há desvantagens. O próprio reitor cita a preocupação com a segurança. Ano passado, o Enem teve de ser adiado porque as provas vazaram. “Mas isso não é um empecilho. É um aspecto que pode ser aprimorado“, defende Jesualdo. Nos debates realizados na UFC, o clima tem sido favorável à proposta apresentada pela universidade. “Do ponto de vista do Conselho Universitário, a tendência clara é de aprovação“, adianta o pró-reitor de Graduação, Custódio Almeida.