A revista O2, especializada em corrida, publicou recentemente uma reportagem interessante sobre o poder viciante que a endorfina exerce sobre praticantes de atividades físicas. Você não sabe o que é isso?

O termo endorfina se origina das palavras endo (interno) e morfina (analgésico). Trata-se de um neuro-hormônio produzido pelo próprio corpo e que traz vários benefícios como aumento de disposição, melhora no sistema imunológico e alívio de dores.

Um estudo recente da Universidade de Bohn, na Alemanha, analisou o cérebro de 10 corredores antes e depois de uma corrida de duas horas de duração. Imagens captadas da região mostraram áreas ligadas à emoção que foram ativadas por causa da liberação da endorfina. Os participantes da pesquisa relataram ainda que, após o término da atividade, sentiram um aumento de euforia e de bem-estar.

Segundo a O2, depois que começam a correr, muitos atletas dizem que não conseguem mais parar. E ainda vão além, se dizem “viciados” pela atividade. Isso é natural, já que o organismo se acostuma com as boas sensações geradas e cria uma espécie de dependência, sente falta das substâncias liberadas pelo exercício.
De certa forma, a endorfina é viciante também por que a falta do exercício físico por alguns dias pode levar à sensação de desconforto, mau-humor e cansaço.

Num mundo que está cada vez mais sedentário e obeso, não há nada de mal em viciar em endorfina, né?

(Pioneiro – Clic Rbs)