Brasília – Depois de conquistarem o primeiro lugar na “Festa das Flores” da Hungria, em agosto do ano passado, os bailarinos da Academia de Artes Vania Dutra, do município de Horizonte, do Estado do Ceará (Brasil), embarcam, na madrugada desta segunda-feira (18), para África. O grupo irá actuar em Cabo Verde.

O grupo de bailarinos, que faz parte de um projeto social que atende crianças, adolescentes e jovens carentes, vai se apresentar na Conexão Cabo Verde junto com outras companhias cearenses de dança. O evento integra a programação da VII Bienal Internacional de Dança do Ceará e está acontecendo na cidade de Praia, capital de Cabo Verde, de 13 a 23 de janeiro.

A Conexão Cabo Verde seria realizada em novembro do ano passado, mas foi adiada para este mês de janeiro por conta de um surto de dengue no país. A comitiva é formada por 18 bailarinos, com idade entre 16 e 29 anos, e estará sob a responsabilidade da bailarina e presidente da Associação Pró-Criança Adolescente de Horizonte, Marília Nogueira.

Durante a semana em Cabo Verde, os bailarinos vão fazer apresentações com a direção da coreógrafa Valéria Pinheiro, além de participar de oficinas, cursos e mesas-redondas. Na quinta-feira (21), os artistas vão apresentar ao público o “Vozes Nagô”, espetáculo que valoriza as raízes afro-brasileiras, no Teatro Nacional. Na sexta-feira (22), integrarão o debate de “Os Bons Encontros”, no Centro Cultural Português, e, no sábado (23), vão realizar pelas ruas da cidade de Praia o “Cortejo de Ritmos Nordestinos”, com concentração na Praça Alexandre Albuquerque.

Os integrantes da banda Dona Zefinha também vão participar das apresentações e prometem mostrar o melhor da música regional brasileira. Os bailarinos viajam com o apoio da Prefeitura de Horizonte e da empresa Vulcabras e o patrocínio da VII Bienal Internacional de Dança do Ceará. A Academia de Artes Vania Dutra é uma fundação sem fins lucrativos de Horizonte que atende a crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social.

(Africa21DIGITAL)