O chanceler brasileiro, Celso Amorim, e o ministro palestino dos Negócios Estrangeiros, Riad Malki, discutiram a retomada do diálogo com Israel. Para Malki, negociação precisa de novos atores.

São Paulo – O chanceler do Brasil, Celso Amorim, se reuniu hoje (06) em Genebra, na Suíça, com o ministro dos Negócios Estrangeiros da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Riad Malki. Segundo informações da assessoria do ministro brasileiro, eles discutiram a situação atual na Palestina e a possibilidade de retomada do diálogo entre palestinos e israelenses.

O Brasil tem se oferecido como mediador do processo de paz. De acordo com a assessoria, Malki afirmou que outros países devem se envolver nas negociações, além do chamado “Quarteto”, formado pela ONU, Estados Unidos, União Européia e Rússia. “O Quarteto é refém de seus próprios limites”, declarou o ministro palestino, sempre segundo a assessoria de Amorim.

O chanceler do Brasil disse que o país não pretende colocar novas propostas na mesa, uma vez que já existe um “Mapa do Caminho”, como é chamado o plano de paz criado em 2003 e que prevê a existência de dois estados, mas pode ajudar a fazer o processo andar.

A avaliação é que o governo brasileiro tem boa interlocução com ambos os lados do conflito e pode contribuir para a retomada das negociações. Prova disso é que os presidentes da ANP, Mahmoud Abbas, e de Israel, Shimon Peres, estiveram no Brasil em novembro do ano passado, e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai visitar Israel e os territórios palestinos em março próximo.

(Guia Global)