O Corpo de Bombeiros resgatou na tarde deste sábado mais dois corpos nos deslizamentos provocados pelas chuvas em Angra dos Reis (RJ), informou a Defesa Civil do Estado. Assim, chega a 28 o número de vítimas resgatadas na região da pousada Sankay, soterrada em Ilha Grande, e a 13 o número de corpos encontrados no morro da Carioca, na parte continental de Angra.

De acordo com a Defesa Civil Estadual, os corpos localizados serão encaminhados para o IML (Instituto Médico Legal). Quando há identificação, eles vão para o de Angra; quando não há, vão para o do Rio.

Em todo o país foram registradas ao menos 76 mortes causadas pelas chuvas desde a última quarta-feira (30). O Estado com maior número de vítimas é o Rio, com 63 mortes registradas, sendo 41 apenas em Angra. Outras dez mortes aconteceram nas cidades de Guararema e Cunha, ambas em São Paulo; e outras três em Juiz de Fora (MG).

A Defesa Civil informou ainda que há registro de 565 pessoas desalojadas –estão em casas de amigos e parentes– na cidade de Angra e 318 desabrigados, ou seja, dependem de abrigos públicos. Desses, 113 eram moradores do morro da Carioca.

A Prefeitura de Angra criou um centro de apoio às famílias das vítimas dos deslizamentos. Ele está funcionando na sede da TurisAngra, na avenida Júlio Maria, no centro da cidade, e tem o objetivo do órgão de prestar apoio e fornecer informações a familiares das vítimas. O centro pode ser contatado ainda pelo telefone 0/xx/21/3367-7518.

Mortos –  A Prefeitura de Angra confirmou hoje os nomes de 21 das vítimas já identificadas pelo IML (Instituto Médico Legal) do soterramento na cidade. Veja a lista.

Entre os corpos identificados está o da jovem Yumi Faraci, filha do dono da pousada Sankay. Não há confirmação sobre os donos da pousada. Informações preliminares apontam que entre os mortos estão ao menos 12 turistas. Seriam de São Paulo, do Rio e de Minas. Em uma casa ao lado da Sankay estaria um grupo de 14 pessoas de São Paulo.

Um velório coletivo foi realizado hoje à tarde no Colégio Estadual Artur Vargas. Entre as vítimas que foram veladas, cinco são familiares dos moradores do morro da Carioca que foram a Angra para o Réveillon e já foram liberados para serem enterrados em Rio Claro (RJ). Outros sete corpos são de moradores da praia do Bananal e foram liberados para enterro no cemitério Belém.

Por volta das 16h50, outros cinco corpos continuam sendo velados e aguardam liberação do cartório para serem enterrados. Segundo a GloboNews, familiares das vítimas reclamam da burocracia para resolver a situação, uma vez que os documentos estão sob os deslizamentos.

A prefeitura decretou luto oficial em Angra por três dias. Com o decreto de calamidade, o município poderá obter recursos ou contratar serviços sem licitação.

(Folha Online)

Anúncios