O secretário de Saúde e Defesa Civil do Rio de Janeiro, Sérgio Côrtes, anunciou nesta sexta (1º) que 15 corpos foram encontrados nos escombros ao redor da pousada Sankay, soterrada na Praia do Bananal, na Ilha Grande, em Angra dos Reis, no estado do Rio de Janeiro. O vice-governador Luiz Fernando Pezão acredita que o quadro final dessa tragédia “será muito triste”, pois, além da pousada, no entorno havia uma série de casas ocupadas por veranistas.

De acordo com subsecretário de Defesa Civil do estado do Rio de Janeiro, Pedro Machado, pelo menos onze dos corpos estavam soterrados e outros cinco, no mar. Pelo menos dez feridos já foram deslocados para outros locais, inclusive para o estado de São Paulo. Uma jovem de 18 anos está entre as resgatadas com vida.

Ainda segundo o subsecretário de Defesa Civil, sete pessoas morreram soterradas no Morro da Carioca, na região central de Angra dos Reis. Com isso, e com a morte de uma menina de 3 anos que havia sido resgatada na quinta-feira (31) em Cascadura, no subúrbio do Rio, subiu para 42 o número de mortes pela chuva que atinge o estado desde quarta (30). Só em Angra dos Reis, o número de mortos chega a 22.

Uma equipe formada por mais de cem homens, entre eles funcionários da Defesa Civil, bombeiros e integrantes da Capitania dos Portos, está na Praia do Bananal.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva ofereceu os serviços da Marinha para ajudar nos esforços de resgate. O governo do estado, por sua vez, confirmou que a Polícia Federal também reforça a operação.

Por causa dos estragos provocados pela chuva, o prefeito da cidade, Tuca Jordão, decretou luto por três dias e cancelou toda a programação do final de ano, entre elas a tradicional procissão marítima que aconteceria nesta sexta. A festa pelos 508 anos de Angra, que seria comemorada no próximo dia 6, também foi cancelada.

Em dezembro de 2002, um outro temporal deixou 40 mortos em Angra.

Rio-Santos – Os cinco pontos da rodovia Rio-Santos, na altura de Paraty, no litoral Sul Fluminense, que estavam totalmente interditados foram liberados parcialmente ao tráfego às 13h10 desta sexta-feira (1). A informação é da Polícia Rodoviária Federal, que trabalha no local junto às equipes do DNIT e da Defesa Civil.

Como os trechos liberados parcialmente estão no sistema “pare e siga”, a Polícia Rodoviária Federal recomenda atenção e paciência aos motoristas que trafegam pela região.

Chuva no Rio de Janeiro – As chuvas causaram 42 mortes no estado entre os dias 30 de dezembro e 1º de janeiro. Em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, um dos municípios mais afetados, mais de 1.800 pessoas estão fora de suas casas. Uma criança de 7 anos morreu no bairro de Jardim Gramacho.

(G1)

Anúncios