FORTALEZA [ ABN NEWS ]Alegria que se decantou em beleza e paz. Assim pode ser descrita a comemoração popular que saudou o novo ano no Aterro da Praia de Iracema, com mais de um milhão de pessoas aproveitando shows de atrações plurais como Waldonys (19h), Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá (20h), Zeca Pagodinho (22h), Margareth Menezes (00h30)e Forró do Muído (02h30). À meia noite, a Prefeita Luizianne Lins fez a contagem regressiva do palco, junto com a população, e destacou: “o Réveillon de Fortaleza já faz parte do roteiro cultural do Brasil porque é da paz, com gente de todas as idades, crianças, idosos, pais”, enfatizou.

O pequeno Rodrigo Heron Girão Leal, de nove meses, que estava lá para assistir aos shows e aos fogos com os pais certamente vai concordar, no futuro, quando olhar as fotos do primeiro Réveillon que passou na Praia de Iracema. “Ano passado, eu estive aqui com ele na barriga. Agora, nós o trouxemos para aproveitar o ambiente familiar, a estrutura bem organizada e o som de qualidade da nossa festa”, assinala a mãe, a auxiliar administrativa Isabelle Marinho Girão. Ela e um grupo de amigos chegaram cedo, por volta das 19 horas, para garantir um bom estacionamento e um lugar na areia para armar a tenda que os protegeria da chuva, caso ela chegasse.

O sanfoneiro Waldonys abriu os shows, chegando de paraquedas, e esquentando o público com seu arrasta-pé, num repertório em que os clássicos do forró de Luis Gonzaga, da MPB cearense, do frevo e da música erudita fizeram todo mundo que chegou cedo às areias do aterro dançar. “Esse show foi muito especial, com uma megaestrutura e um público maravilhoso. Daí, trabalhamos o repertório de forma bastante cuidadosa para animar a galera que veio aqui curtir todos os ritmos”, comemora o músico.

Sem ocorrências graves registradas pela Secretaria Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), a festa do Aterro da Praia de Iracema contou com um efetivo de 265 Guardas Municipais, 463 Policiais Militares e 29 Bombeiros. Além disso, 34 câmeras de vídeo-monitoramento (sendo duas com alcance de 500 metros e giro de 360 graus) e 300 profissionais de segurança privada reforçaram esse trabalho no Réveillon 2010.

Esses cuidados da Prefeitura Municipal de Fortaleza (PMF) asseguram uma das marcas do Réveillon na cidade: a tranquilidade. Outro fator foi relacionado pela prefeita Luizianne Lins na entrevista coletiva que deu após o show pirotécnico: “Minha vontade é de acolher cada um que está aqui porque a festa é de toda a população de Fortaleza e de quem veio nos visitar. Por isso, a nossa festa é de paz porque é de todos e ninguém vem para estragar a própria festa”, assinalou Luizianne, se referindo também à tarifa social dos transportes públicos .

A auxiliar administrativa Letícia Ribeiro, turista que veio de Tracuateua (Pará) só para assistir ao Réveillon em Fortaleza, estava acompanhada dos pais, da filha e do marido, concorda com a avaliação da prefeita Luizianne. Para ela, que foi de ônibus até o aterro e planejou retornar de táxi até a casa onde estava hospedada, a segurança e organização da festa foram os principais pontos a serem elogiados. “Estamos ansiosos pelos shows e pelo espetáculo dos fogos também”, complementa.

Já depois da meia noite, Carlos Barbosa, um dos 400 vendedores itinerantes cadastrados pela Regional 2 para comercializar com isopor comemorava os bons negócios. Com opções entre energéticos, refrigerantes, cerveja e água, ele afirmou que as vendas desse ano foram melhores que no Réveillon 2009. “Trouxe cinco remessas de 30 latinhas e vendi tudo. Acho que é porque aumentou a quantidade de gente”, avalia. Além dos itinerantes, que vendiam com isopores, a Regional 2 cadastrou, por meio de inscrição prévia e sorteio, 210 vendedores em barracas fixas, beneficiando também a economia informal com o aquecimento que a festa dá para o comércio e setor de serviços da cidade.

Fogos foram um espetáculo à parte – Logo após a contagem regressiva para a entrada do novo ano, começou o show pirotécnico de 16 minutos que foi uma das principais atrações deste ano. No espigão da rua Ildefonso Albano, explodiram as 130 bombas aquáticas, uma das novidades desta festa, e mais 3.700 foguetes e 4.293 morteiros, entre outros fogos de artifício, acompanhados por uma trilha musical que embalava o público, mixando tanto as melodias clássicas Suíte do Quebra-Nozes (de Tchaikovsky) e Bolero de Ravel quanto com as músicas populares Brasileirinho (Jorge Aragão) e Briga de Foice (Manassés).

Essa queima de fogos estava sendo tão aguardada que houve famílias que se deslocaram até o aterro só para ver a explosão. As adolescentes Roberta (17 anos), Ana Paula (14 anos)e Julie Franklin (17 anos) estavam com a família na Praia de Iracema especificamente para assistir esse espetáculo. “Acabamos de chegar, mas estamos achando melhor a cada ano. Está bem tranquilo, a chegada de carro foi ótima”, contou Roberta, a porta-voz do grupo.

(ABN)