Com a expectativa de receber 830 mil visitantes nesta alta estação, o Ceará começou a colocar em prática um esquema de policiamento especial nas áreas turísticas, com 2.346 homens da Polícia Militar, da Civil e do Corpo de Bombeiros circulando nas principais praias, tanto na capital como no restante do litoral. Esse policiamento especial – que representa 40% a mais do que o disponibilizado em 2008 – vai trabalhar até 8 de março de 2010.

Apesar do reforço, a polícia faz uma série de recomendações aos turistas, sobretudo para evitar pequenos furtos e golpes como o chamado “boa noite Cinderela”, uma das ocorrências mais comuns registradas na Delegacia de Proteção ao Turista.

Entre as sugestões estão não exibir objetos de valor, como joias e equipamentos eletrônicos, evitar locais pouco movimentados, não deixar o aparelho celular e outros objetos de valor sobre a mesa em restaurantes e bares e não levar desconhecidos ao local onde está hospedado.

Basta uma rápida caminhada na Avenida Beira-Mar, onde se concentra a maioria dos hotéis de Fortaleza, para perceber que o reforço policial já começou mesmo, com soldados a pé, circulando em veículos Hilux -que já consumiram, desde 2007, R$ 84,1 milhões de investimentos públicos- ou nos dez patinetes elétricos comprados em 2008- cada um por R$ 28.500 -, mas que permaneceram alguns meses fora de circulação.

Até no mar há vigilância, com o apoio de jet skis recentemente comprados especialmente para ajudar a evitar afogamentos.

O reforço de segurança é um sinal positivo, na opinião da paulista Cátia Cristina Vieira, 27, pela primeira vez na capital cearense. “Pelo menos até agora, estou me sentindo muito segura ao passear por aqui. Vou ainda visitar outras praias e espero encontrar essa mesma tranquilidade. É muito importante pra um descanso de verdade”, disse. “Eu gostei. E os policiais são muito atenciosos, informam”, disse o mineiro João Carvalho Lima, 44, pela terceira vez em Fortaleza.

Como as principais áreas turísticas da cidade também são muito frequentadas por moradores locais, para caminhadas e corridas, a sensação de mais segurança também é sentida por quem vive na cidade, mas não sem desconfiança. “Muitas vezes você cruza essa Beira-Mar inteira sem ver um policial. Agora não, tem em todo canto. Espero que continue assim”, disse a comerciante Judith Oliveira, 37.

Imagens negativas – O reforço se dá depois de uma série de notícias negativas sobre furtos bem nesse que é principal cartão postal da cidade. Em outubro do ano passado, imagens que mostravam assaltos a turistas bem na Beira-Mar foram exibidas em telejornais nacionais e reproduzidos na internet.
Num deles, apareciam policiais militares com os patinetes elétricos levando um tombo ao tentar perseguir assaltantes.

Outro furto na Beira-Mar que ganhou repercussão nacional foi ao presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Gilmar Mendes, em junho de 2008 – ele teve um cordão de ouro roubado quando caminhava no calçadão bem ao lado de um segurança.

Mesmo logo depois do lançamento da operação Alta Estação (de reforço policial), no começo de dezembro, dois estrangeiros, um suíço e um italiano, chegaram a ficar feridos ao reagir a assaltos em locais diferentes bem na região mais turística. O italiano foi inclusive baleado. Eles foram vítimas da chamada “saidinha bancária”, em que a abordagem dos assaltantes acontece logo após saque numa agência bancária.

Para incrementar ainda mais o policiamento nas praias, está em curso a compra de 40 veículos Troller, cada um por R$ 90 mil. Os jipes serão destinados a áreas de difícil acesso de carros sem tração, como as dunas de Jericoacoara e Camocim, no litoral oeste do Ceará.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Estado, o governo tem como meta expandir gradualmente o policiamento ostensivo, o que vem fazendo desde 2007, primeiro ano da gestão de Cid Gomes (PSB). Entre as próximas medidas, está a convocação de 2.500 aprovados num concurso de policiais – grupo que, após um treinamento, deverá estar nas ruas no primeiro semestre de 2010.

(Noticias Uol)