O ex-ministro José Dirceu (Casa Civil) afirmou nesta sexta-feira que o PSDB “escondeu” o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e fugiu da crise no Distrito Federal no programa do partido veiculado ontem à noite em rede nacional.

Em seu blog, o ex-ministro diz que o presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), “conseguiu a proeza de falar das realizações tucanas” sem citar os oito anos de FHC na Presidência.

“Desapareceram, também, com dois governadores tucanos, Teotônio Vilela Filho (AL) e Yeda Crusius (RS). Sumiram, ninguém sabe, ninguém viu. Sobre outro, Cássio Cunha Lima, até há pouco governador da Paraíba e cassado por compra de votos, nenhuma palavra. Por que será?”, escreveu Dirceu.

No programa, de dez minutos, o PSDB apresentou os dois pré-candidatos do partido à Presidência da República nas eleições de 2010: os governadores José Serra (SP) e Aécio Neves (MG). “Foram as estrelas da rede nacional”, disse o ex-ministro.

Dirceu também questionou o fato de o PSDB não ter falado nada no programa sobre as denúncias de corrupção envolvendo o governo do Distrito Federal.

“Nenhuma palavra, meus caros, foi dita pelo presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE) sobre a acusação que pesa sobre o tucano Márcio Machado, secretário de Obras do governador José Roberto Arruda. Machado é apontado como organizador da arrecadação de dinheiro para o esquema junto às empresas”, afirmou o ex-ministro.

O governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (DEM), é suspeito de participar de um esquema de pagamento de propina a parlamentares da base aliada na Câmara Legislativa do DF. Arruda nega as acusações.

(Folha Online)

Anúncios