O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) acontece neste sábado e domingo, dias 5 e 6 de dezembro, em 1.826 municípios brasileiros. A prova estava planejada para ocorrer nos dias 3 e 4 de outubro, mas foi cancelada por fraude. A reportagem do iG conversou com professores dos principais cursos pré-vestibulares de São Paulo, que dão dicas do que os alunos devem fazer para se sair bem no exame.

Vera Lúcia Antunes, coordenadora do curso e do colégio Objetivo, alerta, primeiramente, para o local onde será realizada a prova, que não é o mesmo da primeira data do Exame e isso pode confundir os mais desatentos. “Em alguns casos, coincindiu, mas a maioria mudou. É bom checar novamente no site do Inep se você está indo para o lugar certo”, afirma. (consulte os locais de prova)

Quem não visitou o local da prova, deve sair de casa ainda com mais antecedência, contando que pode se perder pelo trajeto. “Você não sabe como estará o trânsito. E se der uma chuva forte e causar alagamento, a rua estiver interditada por uma obra ou o pneu do carro furar?”, questiona o coordenador do curso Etapa, Edmilson Motta. O melhor, diz, é prevenir. O ideal é chegar pelo menos 30 minutos antes do início.

Para se concentrar somente no teste, é aconselhável ir com roupas e sapatos bem confortáveis. Além disso, não sair de casa sem almoçar. “O aluno de estômago vazio pensa menos”, brinca Alberto Francisco do Nascimento, coordenador do curso Anglo. Como a prova dura 4h30 no sábado e 5h30 no domingo, a orientação é levar para a sala de aula muito líquido (água ou suco) e algum lanche leve, como uma fruta ou uma barra de cereal. “É importante levar algo que a pessoa esteja acostumada a comer. O rapaz já vai estar nervoso, daí leva um chocolate que nunca comeu, embrulha o estômago, já viu”, diz Nascimento.

Veja abaixo 10 dicas dadas pelos professores:

Planeje o tempo

No sábado, o aluno terá 4h30 (ou 270 minutos) para resolver 90 questões, o que dá em média 3 minutos para cada questão. O tempo, segundo os professores, é suficiente, mas é preciso que seja bem utilizado. “Se começar a ‘brigar’ com o teste e gastar 10 minutos em uma única questão, vai faltar tempo para as outras”, afirma Alberto Nascimento. A dica é: seja prático e ágil. “Está muito difícil? Não sabe? Pula e volta para ela no final”, diz.

Responda na sequência

Como o Enem é uma prova com questões interdiciplinares, a regra de responder primeiro aquelas da matéria que o estudante tem mais facilidade, como português ou matemática, não é válida. “Geralmente a questão de química já mistura biologia ou física”, explica Nascimento. “Resolver na sequência normal da prova é a melhor opção. Tem aluno que vai adiante, daí vê que não sabe e fica nervoso”, acrescenta Vera Lúcia.

Foco na leitura

Mais do que qualquer outro vestibular, professores afirmam que o Enem exige atenção especial à leitura dos enunciados e dos textos dados. “É uma prova que dá trabalho. A chave do sucesso é a leitura cuidadosa e paciente”, afirma Vera.

De acordo com Edmilson, do Etapa, mesmo com as mudanças anunciadas para o Enem deste ano, que visaram incorporar mais conteúdo do Ensino Médio no teste, a prova que vazou mostra que a interpretação de texto ainda é muito importante. “Às vezes, a resposta está na própria questão. É raciocínio lógico”, diz.

Atenção às datas e aos títulos

Segundo Vera, um elemento que muitas vezes passa despercebido pelos alunos, mas que é muito importante é a data da notícia. “Você deve grifar aquela data porque pode ter uma pergunta sobre o contexto em que ela ocorreu”, alerta.

A professora também ressalta para o cuidado com o título de gráficos e tabelas. “Ele está em porcentagem ou número cheio? São pegadinhas que podem mudar toda a resolução”, afirma.

Equilibre as áreas de conhecimento

No sábado, a prova terá duas partes: ciências da natureza e suas tecnologias, com 45 questões, e ciências humanas e suas tecnologias, com outras 45. Segundo o professor Alberto, cada uma dessas áreas vale 100 pontos, por isso, a ideia é que o aluno tente equilibrar o tempo e a atenção gastos com cada parte.

Porém, ele ressalta também que a faculdade tem autonomia para decidir como irá utilizar a nota do Enem no seu processo seletivo. Sendo assim, se o aluno escolheu um curso da área de humanas, por exemplo, pode ser que a prova de ciências humanas e suas tecnologias tenha um peso maior que as demais. Vale a pena se informar sobre isso antes da prova para saber qual a área em que precisa se sair melhor.

Não revise

Sobrou tempo? Dedique-o às questões em que ficou em dúvida. Os especialistas aconselham a não ler novamente aqueles itens que já foram respondidos. “Não revise a prova. Quando você volta, já cansado, acaba errando”, afirma Vera. Portanto, evite trocar de resposta. “O primeiro raciocínio, em geral, é sempre o melhor”, considera ela.

Chute inteligente

No Enem, os professores aconselham os alunos a não chutarem levando em conta a letra que teve o menor número de respostas. Não funciona, garantem, porque a prova não tem equilíbrio entre os itens, diferentemente do que acontece em alguns vestibulares.

Segundo eles, até mesmo na hora de chutar é importante ler o enunciado com atenção para eliminar as alternativas consideradas absurdas. “É sempre melhor chutar entre duas ou três alternativas do que entre cinco. A chance de acerto é maior”, afirma Edmilson.

Dia da redação

No domingo, o tempo da prova deve ser dividido ainda com mais cautela, em razão da redação. Os professores indicam que os estudantes deixem pelo menos 1h para fazer o texto. A redação é dissertativa-argumentativa e, geralmente, traz um tema atual ou de cunho social.

A redação furtada teve como proposta, por exemplo, a valorização do idoso e pedia que o aluno apresentasse uma experiência ou proposta de ação social, que respeitasse os direitos humanos.

O aluno deve escrever de forma objetiva e com cuidado para não fugir do tema, o que desconta ponto. Vera ressalta também que não há tempo extra para passar a limpo o texto. Por isso, se estiver com os minutos contatos, prefira já escrever à caneta. “É preciso se organizar. Tive uma aluna que fez um texto belíssimo na Unicamp este ano, mas não conseguiu passar a limpo. Certamente foi desclassificada”, diz Vera.

Faça tudo

Os professores lembram que não é raro alunos que fazem o primeiro dia da prova e, por acharem que foram muito mal, desistem do segundo. Para eles, a atitude está erradíssima. “Tem que lutar até o último instante. Às vezes, foi ruim no sábado, mas você pode compensar no domingo. Não convém parar no meio do caminho”, afirma Nascimento, do Anglo. “Lembre-se que você pode ter mais habilidade em outra coisa. Não se abandona um jogo”, motiva Vera.

2º dia de prova

Acabou a prova de sábado? É hora de se recuperar para a maratona de domingo. De acordo com Vera Lúcia, os alunos não devem estudar ou ler muito à noite. O melhor a fazer é um programa light de lazer, como assistir a um filme. “Você tem que voltar descansado”, diz. Depois, ir dormir cedo.

No domingo, a recomendação é não acordar muito tarde e tomar um bom café da manhã. Antes de sair, novamente, comer alguma coisa. Do mais, os professores avisam que não há segredo: quem estudou para o vestibular, está preparado também para o Enem.

(Ultimo Segundo)

Anúncios