RIO – Faltando menos de um mês para as festas de fim de ano, os lojistas estão entrando no melhor período de vendas do comércio. Com o otimismo do varejo, o momento é favorável para quem considera as vagas de trabalho temporário, oferecidas nesta época, como uma oportunidade de carreira. Que não seja por um possível efetivação, a experiência no mercado de trabalho já conta ponto relevante para o currículo.

Renato Ladeia, consultor de RH e professor do curso de administração do Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana (FEI), de São Paulo, recomenda que o candidato encare o emprego temporário como um período de testes e não como um “bico”:

– Muitas vezes a empresa testa o trabalhador temporário antes de contratá-lo como efetivo. A partir daí, podem se abrir várias portas, não só na área de vendas, mas também nos demais setores da empresa.

A diretora de Desenvolvimento e RH da Personal Service, Fátima Sanches, acrescenta que o desempenho do profissional faz toda a diferença na hora da contratação, já que muitas empresas aproveitam esse momento para identificar talentos.

– Comprometimento, interesse, boa comunicação, iniciativa e pontualidade são alguns pontos primordiais para que os temporários se destaquem e garantam a oportunidade de trabalho após o período de festas e férias. Também contam pontos na hora da contratação a vontade de aprender, espírito de equipe e proatividade – diz Fátima.

Segundo Renato Ladeia, é importante que o temporário “deixe a sua marca” na empresa para ser lembrado em futuras oportunidades:

– Muitas empresas podem contratar temporários no lugar de um efetivo que não corresponde mais às suas expectativas ou até mesmo para cobrir férias de outros funcionários. Conheci pessoas que trabalharam duas, três vezes numa mesma empresa como temporários, depois foram efetivadas e ascenderam na empresa.

Fátima, por sua vez, ressalta que o emprego temporário abre as portas do mercado de trabalho, mesmo em outras áreas, pela experiência que o profissional adquire no relacionamento com o público e pela oportunidade de ampliar sua rede de contatos.

Os trabalhadores temporários têm os mesmos benefícios em relação aos funcionários contratados pelo regime da Consolidação das Leis do Trabalho, como FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço), 13º salário, férias proporcionais e registro em carteira.

A previsão da Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário (Asserttem) é de que cheguem a 123 mil as vagas temporárias para o Natal de 2009, isto é, 7% sobre o ano passado, quando foram abertas 115 mil vagas. A entidade acredita que, após a temporada, a média de efetivação ficará em torno de 17%, percentual inferior ao de 2008, ano em que, mesmo com a crise financeira global, a efetivação ficou em 28%. De acordo com a Assertem, os jovens em busca do primeiro emprego respondem por 27% dos contratos previstos.

(O Globo Online)

Anúncios