Do Diário OnLine

A confiança da indústria brasileira cresceu 2,4% em novembro, ao passar de 107 para 109,6 pontos, o maior nível desde agosto do ano passado (com 113,3 pontos), segundo dados divulgados nesta segunda-feira pela FGV (Fundação Getulio Vargas).

O resultado desse mês “sinaliza a consolidação da recuperação da indústria após a crise financeira internacional”, aponta o levantamento. Sem ajuste sazonal, o índice alcança uma variação expressiva, de 35,1%, sobre o mesmo mês de 2008, quando a indústria já havia sido afetada pela crise. É a maior variação desde julho de 2004 (42,4%).

No mês passado, o ISA (Índice da Situação Atual) avançou 2,9%, ao subir de 105,1 para 108,1 pontos, enquanto o IE (Índice de Expectativas) elevou-se em 1,8%, de 109 para 111,0 pontos.

O indicador que mede o grau de satisfação dos empresários com o ambiente atual dos negócios foi o quesito que mais contribuiu para o aumento do ISA em novembro. A proporção de empresas que avaliam a situação dos negócios como boa aumentou de 26,7% em outubro para 29,9% em novembro, enquanto a parcela das que a consideram como fraca reduziu-se de 19,2% para 18%.

A indústria está também otimista em relação aos próximos meses. Das 1.122 empresas consultadas, 57,7% esperam melhora e apenas 2,6%, piora da situação dos negócios nos seis meses seguintes. Em outubro, estes percentuais haviam sido de 51,7% e 7%, respectivamente. O indicador de otimismo com os negócios alcançou 155,1 pontos, o maior desde março de 2008 (156,9 pontos).

(Diário do Grande ABC)

Anúncios