IRAUÇUBA, CEARÁ – Na casa de Francisco Oliveira, pai de oito filhos, 17 netos e um bisneto, um rato-do-mato conhecido pelos sertanejos como rabudo, faz parte do cardápio do dia a dia. O bicho consta do hábito alimentar de Irauçuba, município do interior do Ceará, apontado como um dos polos de maior aridez do semiárido nordestino.

O sertanejo Francisco Oliveira alimenta sua família com rabudo, uma espécie de rato-do-mato, que caça diariamente/Foto: Marco Antonio teixeira - O Globo

Localizado a 150 quilômetros de Fortaleza, a cidade está vivendo um processo avançado de desertificação, revela Liana Melo, em reportagem publicada na edição do GLOBO deste domingo. Pouco mais de 87% da região já estão virando deserto e o percentual no estado chega a 10,2%.

Confira as imagens de Irauçuba

Cálculos preliminares da Fiocruz e da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) dão conta de que o avanço desse processo associado às mudanças climáticas podem provocar uma redução de 11,4% na taxa de crescimento da economia nordestina até 2050. Só a área agricultável do Ceará deverá sofrer um encolhimento de 79,6%.

Crianças de Irauçuba brincam com ossada de gado/Foto:MArco Antonio Teixeira - O Globo

Vítima recorrente da seca, que é um fenômeno ecológico, a desertificação que atinge a zona rural de Irauçuba é resultante da pecuária, das queimadas (para ampliar áreas de cultivo e pastagem ou para produção de lenha) e do uso inadequado da terra. É comum os agricultores locais abandonarem seus roçados, cultivados no máximo duas vezes, para abrirem novas clareiras. A agricultura é basicamente de subsistência. Predomina o cultivo de milho e feijão.

O mais preocupante, na avaliação do prefeito de Irauçuba, Raimundo Nonato (PHS), é que a desertificação coincide, em grande parte, com os maiores bolsões de miséria da região. A coincidência já virou regra no país, onde a desertificação é uma realidade. O problema afeta 30 milhões de pessoas no país, em 1.482 localidades de sete estados.

(O Globo Online)

Anúncios