A Ordem dos Advogados do Brasil no Distrito Federal informou no fim da noite de sexta-feira que vai estudar o inquérito que motivou a operação Caixa de Pandora da Polícia Federal, na qual o governador José Roberto Arruda (DEM) aparece envolvido em um esquema de propina para a base aliada na Câmara Legislativa.

“A decisão foi anunciada pela presidente da Seccional, Estefânia Viveiros, depois de reunião de emergência com o vice-presidente Ibaneis Rocha. Caso haja elementos para pedir o impeachment, a proposta será submetida ao Conselho Pleno, órgão máximo da entidade”, escreveu a OAB-DF em nota divulgada no site do órgão.

Oposicionistas de Arruda, que é o único governador do DEM no país, falam em pedir a cassação dele. “Temos que pedir a documentação e analisar a responsabilidade nos autos do STJ (Superior Tribunal de Justiça). Se houver indícios fortes, o governador pode sofrer impeachment, sim”, disse o deputado distrital Cabo Patrício (PT) a jornalistas.

Divulgado na sexta-feira, o inquérito do STJ aponta gravações em que o ex-secretário de Relações Institucionais Durval Barbosa e Arruda supostamente falam sobre ratear dinheiro entre membros do primeiro escalão do governo. O vice-governador, Paulo Octávio, também é citado nas transcrições.

(Notícias Uol)

Anúncios