A Prefeitura de Caucaia acatou a recomendação emitida pelo Ministério Público e vai anular a prova do concurso para enfermeiro do Programa de Saúde da Família, realizada no último domingo (08). Muitos candidatos prestaram queixa na delegacia por terem se sentido prejudicados com o atraso na aplicação dos testes.

Conforme nos explicou por telefone o promotor de Justiça Ricardo Rocha, que assinou o pedido à prefeitura, a intenção é evitar prejuízos a qualquer candidato. “Foi anulada apenas a prova do pessoal de Enfermagem do PSF porque, de todas as localidades onde foi feita a prova, apenas em uma escola houve um princípio de tumulto, em face do atraso da chegada das provas. Esse tumulto fez com que algumas pessoas não fizessem a prova, pois um grupo se reuniu e impediu a entrada”, explicou.

“Eu exigi que fosse feita uma nova prova”, disse Ricardo Rocha. Segundo ele, “vai ser elaborada uma nova prova para todo o pessoal candidato a enfermeiro e vai ser divulgada uma nova data o mais breve possível. O objetivo é que nenhum candidato fique prejudicado. A importância é que a lisura do concurso está garantida”.

Quanto às pessoas que se candidataram a outros cargos, não há o que se preocupar, o concurso vai ter continuidade normalmente conforme o previsto. Ao todo, 29.862 pessoas fizeram a inscrição para 146 cargos nos níveis superior e médio. Nos outros nove locais, as provas ocorreram normalmente.

ENTENDA O CASO – No último domingo (08) foi realizado o concurso público para 2.859 vagas de diversos níveis na Prefeitura de Caucaia. Na Escola Municipal Augusto César Silva Sales ocorreu um tumulto porque, segundo os candidatos, a prova para enfermeiro, que deveria ter começado às 8h da manhã, só teve início duas horas depois. As provas foram realizadas e poucos candidatos entraram para fazer o teste, enquanto muitos outros foram à delegacia registrar um Boletim de Ocorrência contra a organização do certame.

Um dos membros da comissão organizadora, que falou no dia da ocorrência à TV Diário, disse que as provas foram levadas aos 10 locais para realização do exame às 6h30 da manhã e que os fiscais já estavam no local 30 minutos antes do horário previsto. E que houve duas horas de atraso por questões de segurança, já que um grupo de candidatos bloqueou a entrada.

(Portal Verdes Mares)