A comissão de sindicância da Corregedoria da Câmara aprovou, nesta quarta-feira (4), o relatório que absolve o deputado cearense Eugênio Rabelo (PP-CE) do envolvimento com a comercialização da cota de passagens parlamentares.

O outro deputado investigado, Paulo Roberto (PTB-RS), também foi absolvido, contudo, no curso das investigações no gabinete do deputado gaúcho a sindicância encontrou indícios de irregularidades na contratação de funcionários no gabinete do parlamentar.

“Em relação às passagens, não houve comprovação de venda de passagens que envolva esses dois parlamentares”, disse o corregedor da Câmara, deputado Antônio Carlos Magalhães Neto (DEM-BA).

Segundo ele, no caso de Paulo Roberto a corregedoria encaminhará para a mesa diretora da Casa o pedido para abertura de processo por quebra de decoro parlamentar no Conselho de Ética.

O escândalo da farra das passagens aéreas pagas com dinheiro público da Câmara deu origem a uma comissão de sindicância, criada no dia 16 de abril, para investigar a suspeita de fraude e comércio ilegal dos créditos concedidos mensalmente aos deputados.

Fonte: O Povo Online

Anúncios