A CAE (Comissão de Assuntos Econômicos) aprovou nesta terça-feira projeto de lei que prevê, para julho de 2012, a extinção da contribuição social devida por empregadores, quando da demissão sem justa causa.

A lei em vigor atualmente determina que os empregadores têm que pagar, nestes casos, 10% do valor do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço), como contribuição social.

A medida havia sido criada para cobrir um rombo no Fundo, afetado por pacotes econômicos. No entanto, apesar de a diferença já ter sido reparada, o governo manteve a contribuição, gerando crítica por parte de empresas.

A contribuição não tem relação com os 40% da multa sobre o FGTS que as empresas pagam ao empregado na demissão sem justa causa. A retirada da cobrança não afetará os trabalhadores.

O projeto ainda será votado pelos senadores em plenário. Se aprovada, segue para a Câmara dos Deputados.

(Folha Online)

Anúncios