A aproximação da senadora Marina Silva (PV-AC), pré-candidata à Presidência da República, com líderes do PSOL rachou o comando nacional do partido. Enquanto parte da legenda defende o lançamento de uma candidatura própria a presidente, outro grupo é favorável a uma aliança com o PV.

Integrante da Executiva Nacional do PSOL, Edilson Silva disse que uma reunião marcada para o próximo sábado (7), em São Paulo, vai formalizar a discussão que já acontece informalmente entre parlamentares da legenda e líderes do PV.

“Vamos discutir os pontos programáticos de uma possível aliança, porque não queremos apenas debater cálculos eleitorais”, afirmou Edilson, que defende a aproximação com o PV, principalmente porque a presidente nacional do PSOL, Heloísa Helena, já declarou que pretende disputar o Senado por Alagoas.

Segundo reportagem da Folha publicada ontem, Marina Silva admitiu que tem mantido “conversas informais” com líderes do PSOL, entre eles Heloísa Helena, em torno da política de alianças para a campanha de 2010.

Mas a uma possível aliança com o PV não é consenso no PSOL. O secretário de Movimentos Sociais, Fernando Silva, também integrante da Executiva Nacional, disse que a aproximação com o PV ainda não está em debate no partido, principalmente porque a candidatura a presidente de Plínio de Arruda Sampaio está crescendo internamente na legenda.

“É possível que seja formalizada uma aliança com o PV, mas isto está longe de ser consenso no partido. Não há nenhum consenso no PSOL em se coligar com o PV”, afirmou Fernando.

Edilson admitiu que a falta de consenso no PSOL sobre as eleições de 2010 não é segredo “para ninguém”, e reconheceu que há posição interna divergente.

“A candidatura de Plínio de Arruda Sampaio é uma posição legítima que nós respeitamos. Mas temos que fazer um trabalho exploratório da candidatura da Marina Silva que tem alguns aspectos que não estão claros. Só podemos visualizar a candidatura da Marina na medida que fazemos um debate interno”, afirmou Edilson.

Fonte: Folha Online

Anúncios