O documentário “Francisca Carla – a santa popular”, que conta a história de uma portadora de hanseníase na década de 50 que viveu em Tianguá (Serra da Ibiapaba), enfrenta um problema: a liberação dos recursos por parte da Prefeitura e da Seretaria da Cultura do Estado não saiu, o que está inviabilizando a realização das gravações, segundo a produção.

O documentário, que terá a participação do cantor Ney Matogrosso e das atrizes Claudia Alencar, Solange Couto, Elke Maravilha, Marta Aurélia e artistas da região da Ibiapaba, atrasou o cronograma, faz parte da luta nacional contra o preconceito e pela valorização dos portadores de hanseníase. Francisca Carla viveu segregada por causa da doença, mas segundo moradores, acabou virando santa e fazendo milagres.

O governador Cid Gomes já foi procurado pela produção, mas nada de o milagre da liberação da verba ocorrer.

Fonte: Blog do Eliomar de Lima

Anúncios