A Polícia conseguiu evitar um grande roubo a banco que ocorreria nos próximos dias no Estado do Ceará. O plano do assalto, no qual os bandidos usariam uma Hilux roubada e armas de grosso calibre, foi descoberto com a prisão de membros de uma quadrilha interestadual de assaltantes e sequestradores, na última quarta-feira, no Município de Eusébio, na Região Metropolitana de Fortaleza.

Os bandidos fazem parte de uma quadrilha que vinha sendo investigada sigilosamente por uma força-tarefa da Polícia Civil com a colaboração do Ministério Público e da Coordenadoria de Inteligência da Secretaria da Segurança Pública (Coin), conforme matéria exclusiva publicada pelo Diário do Nordeste, na última quarta-feira (28).

De acordo com o delegado Francisco Cavalcante, o chefe da quadrilha é o assaltante de bancos Otacílio Siqueira de Araujo Júnior, 43, o ´Júnior Paulista´. Ele ia comandar a ação.

Otacílio foi preso juntamente com Francisco Gilson Lopes Justino, 24, o ´Meia Luz´; Francisco Lopes Justino, 26, irmão de ´Meia Luz´; e Francisco da Silva Monteiro, 23, o caseiro do sítio onde ocorreu a prisão. O grupo havia ido buscar uma Hilux, roubada na última quarta-feira, na Rua Manoel Feliciano, na localidade de Telha, em Aquiraz.

Buscas – O veículo estava escondido no haras, situado na Estrada do Fio, no Eusébio, há um dia. Quando deixaram a caminhonete, os bandidos foram vistos com uma sacola, contendo várias armas, inclusive armas longas, mas no dia que retornaram, para levar a Hilux, não estavam com o armamento. Buscas foram feitas, mas até agora o material não foi localizado. Acusado de participar de assaltos em outros Estados e no Ceará, Otacílio também estaria por trás do atentado contra a delegada Alexandra Medeiros, titular da Delegacia de Acidentes e Delitos de Trânsito (DADT), o seu marido, o inspetor Francisco Fernando Cavalcante, e os dois filhos, ocorrido no último dia 16 de agosto.

Ele teria dirigido o veículo e orquestrado o atentado, no qual o assaltante Jorge Eduardo Carvalho Neto, 35, acabou morto em uma troca de tiros com o inspetor Fernando.

O Diário apurou que o bandido Jorge Eduardo estava preso na Colônia Agrícola do Amanari. A quadrilha teria contratado um advogado para soltá-lo. Tudo seria feito para que Jorge participasse do atentado, simulando um assalto, fato que acabou em morte.

Contudo, depois de matar os dois policiais e os filhos, o assaltante também seria morto pela quadrilha.

Fonte: Portal Verdes Mares